O melhor Sanduíche de Linguiça do Mundo

Tem dias que a única coisa que queremos comer é um sanduíche caprichado, daqueles de se lambuzar. Nada de garfo e faca, apenas as mãos, uma montanha de guardanapo e muita concentração. E claro que não aqueles de redes fast food. Quando falamos de sanduíche, tem de ser “o sanduíche”.

Sanduiche de linguiça

Uma salsicha especial para um belo Hot Dog, um hambúrguer caseiro para um belo Cheese Burger ou a sugestão de hoje no OBA Gastronomia, um belo Sanduíche de Linguiça, o Melhor do Mundo, pode apostar nisto (tudo que é feito por você com vontade, carinho, capricho e bons ingredientes, vira “o melhor do mundo”).

Sanduiche de linguiça 1

Lembre sempre que a receita sempre pode ser modificada. Você pode usar uma linguiça diferente, um pão diferente, um outro queijo ou o que te vier à cabeça. O importante é que quando a vontade de um sanduíche bater, que você resista as lanchonetes e prepare o seu em casa. É recompensador.

Sanduíche de Linguiça

Tempo de Preparo 10 minutes
Cook Time 10 minutes
Tempo Total 20 minutes
Porções 1 pessoa

Ingredientes

  • 1 unidade Pão Ciabatta
  • 5 unidades Linguiça Toscana para aperitivos pequenas
  • 2 ou 3 folhas resgadas Alface
  • 4 fatias Tomate
  • 3 fatias Queijo Provolone
  • À gosto Mostarda amarela
  • À gosto Ciboulette picada

Instruções

  1. Abra o pão ao meio e arrume a alface. Coloque as rodelas de tomate por cima e reserve.
  2. Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque um fio de óleo. Ponha as linguiças e frite até que estejam no ponto desejado. Junte bem as linguiças dentro da panela e arrume as fatias de queijo por cima. Tampe com uma tampa alta de panela. Levante um pouco e borrife água, fechando logo em seguida. Isto provocará vapor e fará o queijo derreter por igual.
  3. Retire da panela com uma espátula e arrume por cima do tomate. Polvilhe a ciboulette e adicione a mostarda. Devore imediatamente.

Calabresa na Cachaça com Cogumelos

Um dos petiscos mais consumidos nos bares do Sul e Sudeste do Brasil é a Calabresa Frita. Presente no cardápio de 10 entre 10 botecos que se prezem, esta linguiça fritinha é uma das queridinhas por aqui. No Rio de Janeiro é comum seu preparo flambando na frigideira. Além de ser uma atração à parte as linguiças nas labaredas, o sabor fica simplesmente fantástico.

Calabresa na cachaça

Como quase tudo que é bom demais pode melhorar, quis dar um sabor extra na Calabresa na Cachaça e surgiu a ideia de guarnecer com cogumelos. O resultado foi genial. O sabor silvestre dos cogumelos combinou demais com o leve adocicado que a cachaça flambada empresta a calabresa.

Calabresa na cachaça com cogumelos

Vale a pena preparar para receber amigos. Cervejinha, boa conversa, risadas gostosas e uma calabresa deste jeito não tem quem resista.

Calabresa na cahaça com cogumelos 1

Calabresa na Cachaça com Cogumelos

Tempo de Preparo 10 minutes
Cook Time 10 minutes
Tempo Total 20 minutes
Porções 6 pessoas

Ingredientes

  • 300 g Calabresa em fatias de 1 5 cm
  • 200 g Cogumelos Shitake, Shimeji e Paris
  • 200 ml Cachaça de boa qualidade
  • 1 colher sopa Manteiga
  • À gosto Sal e pimenta-do-reino
  • À gosto Ciboulette picada

Instruções

  1. Corte os cogumelos Paris e Shitake (sem os talos) em fatias finas. Separe os cogumelos Shimeji em pedaços pequenos. Aqueça uma frigideira e coloque a manteiga. Junte os cogumelos, tempere com o sal e a pimenta e refogue por 4 minutos, até que os cogumelos parem de soltar líquido. Desligue e reserve.
  2. Aqueça bem uma frigideira de ferro e coloque a calabresa. Deixe por 2 minutos, mexendo sempre. Retire a panela do fogo e coloque a cachaça. Volte para a chama e incline levemente a frigideira para que a cachaça  pegue fogo. Deixe até o fogo se extinguir.
  3. Misture os cogumelos com a calabresa, polvilhe a ciboulette e sirva imediatamente.

Espaguete com Tiras de Mignon e Cogumelos

Espaguete em um almoço de domingo é sempre bem vindo demais. Quando é prato único, fica melhor ainda. Em pouco tempo você tem um super almoço na sua frente, tendo que se preocupar apenas com uma saladinha básica de entrada e a sobremesa, claro. A sugestão do OBA Gastronomia de hoje foi o almoço de ontem por aqui.

Espaguete com tiras de mignon e cogumelos

Fácil e rápido de preparar, este espaguete com mignon e cogumelos e com um leve toque de Funghi Porcini Secchi é delicioso e charmoso, digno de um almoço dominical. Você pode escolher os tipos de cogumelos ou optar por utilizar somente um. Eu usei o Shimeji e o Paris. Infelizmente, quando fui comprar, não encontrei meu preferido, o Shitake, mas ficou bom do mesmo jeito.

Espaguete com tiras de mignon e cogumelos 1

Este é um prato para você colocar entre seus preferidos na cozinha. Quando preparar e ouvir os suspiros, entenderá o que quero dizer.

Espaguete com tiras de mignon e cogumelos 2

Espaguete com Tiras de Mignon e Cogumelos

Tempo de Preparo 20 minutes
Cook Time 20 minutes
Tempo Total 40 minutes
Porções 5 pessoas

Ingredientes

  • 1 pacote 500 g Macarrão Espaguete
  • 800 g Mignon em tiras de 5 cm
  • 200 g Cogumelos Paris em fatias
  • 200 g Cogumelos Shimeji
  • 5 pedacinhos Funghi Porcini seco
  • 1 taça Vinho branco seco
  • 1 unidade média Cebola picada
  • 2 dentes Alho picado
  • 200 ml Creme de leite fresco
  • À gosto Sal e pimenta-do-reino
  • 1 1/2 colher sopa Azeite de oliva
  • 1 colher sopa Manteiga
  • À gosto Ciboulette picada

Instruções

  1. Hidrate o Funghi Porcini no vinho por 30 minutos. Retire e escorra com as mãos, reservando o vinho. Pique finamente.
  2. Aqueça uma frigideira funda e coloque o azeite. Refogue a cebola e o alho por 1 minuto. Tempere a carne com o sal e a pimenta e coloque na frigideira. deixe cozinhar até tomar cor, retire e reserve.
  3. Na mesma frigideira, coloque os cogumelos, inclusive o Funghi Porcini. Refogue por 2 minutos, mexendo sempre, e junte o vinho. Deixe evaporar e tempere com sal e pimenta. Desligue o fogo.
  4. Cozinhe o macarrão até estar al dente.
  5. Reaqueça o refogado de cogumelos e junte o creme de leite. Quando estiver bem quente, misture com o macarrão e sirva com queijo Parmesão ralado grosso e ciboulette picada por cima.

Alabote com Cogumelos e Molho de Limão Siciliano

Quem assiste o programa Hell’s Kitchen, uma competição culinária comandado pelo Chef inglês Gordon Ramsay, está acostumado a vê-lo utilizando um peixe chamado Alabote (halibut em inglês). Saibam que se trata de um peixe de excelente sabor e textura, comparando-se ao Linguado, só que com um custo bem mais baixo.

Alabote com cogumelos e molho de limão siciliano

Com sua carne branca, mas firme que a do Linguado, o Alabote é um peixe ideal para ser grelhado. É o que trago para vocês hoje. Um belo filé de Alabote acompanhado de cogumelos (eu usei o Pleorotus e o Shitake) e um molho bem suave de limão siciliano. Vale a pena preparar em qualquer ocasião, desde um almoço de domingo com a família até um jantar romântico a dois. Quem sabe para o Dia dos Namorados que se aproxima?

Alabote com cogumelos e molho de limão siciliano 1

Confira nossa receita de Alabote

Lembre de vir contar pra gente o que achou do prato depois de fazer em casa!

Alabote com Cogumelos e Molho de Limão Siciliano

Tempo de Preparo 20 minutes
Cook Time 20 minutes
Tempo Total 40 minutes
Porções 2 pessoas

Ingredientes

  • 2 unidades com 300 g cada Filés de Alabote ou outro peixe de sua preferência
  • 50 g Cogumelos Shitake sem os talos
  • 50 g Cogumelos Pleorotus
  • 1 colher sopa Azeite de oliva extravirgem

Molho

  • 200 ml Creme de leite fresco
  • Suco de 1/2 limão Limão siciliano
  • À gosto Sal e pimenta-do-reino
  • À gosto para a finalização Ciboulette picada
  • 1 colher sobremesa Manteiga gelada

Instruções

  1. Aqueça uma frigideira e coloque meia colher (sopa) de azeite. Adicione os cogumelos já cortados em pedaços médios. Tempere com o sal e a pimenta e  deixe refogar por 3 minutos, mexendo sempre. Reserve.
  2. Em uma panela pequena, coloque o suco de limão e aqueça por 2 minutos. Adicione o creme de leite e tempere com o sal e a pimenta. Deixe reduzir e coloque a manteiga. Misture bem.
  3. Tempere o peixe com sal e pimenta. Grelhe os filés em frigideira antiaderente com um fio de azeite. Deixe dourar e vire uma só vez.
  4. Reaqueça e coloque o molho no fundo de dois pratos. Arrume os filés e os cogumelos por cima. Espalhe a ciboulette e sirva imediatamente.
  5.  

Creme de Milho em Cestinha de Provolone

Creme de milho em cestinha de provolone

Sou adepto de cestinhas para apresentar pratos pequenos, entradinhas. Cestinhas de batata palha, massa de pastel, massa folhada e esta que trago aqui hoje, de queijo provolone, transformam uma refeição em algo lúdico, principalmente para crianças. O melhor de tudo é que podemos comer as cestinhas depois. Os recheios que você pode usar são inúmeros, desde saladas até pastas e cremes, como o de milho que ilustra a matéria.

Creme de milho em cestinha de provolone

Não conheço quem não goste de creme de milho. Seu sabor levemente adocicado, com os grãos explodindo na boca, é delicioso. Simples e rápida, esta receita vai abrir com louvor qualquer evento que você imaginar.

Experimente outros recheios e outros tipos de queijos. Solte a imaginação e divirta-se!

Creme de Milho em Cestinha de Provolone

Tempo de Preparo 10 minutes
Cook Time 15 minutes
Tempo Total 25 minutes
Porções 8 pessoas

Ingredientes

  • 2 espigas Milho verde in natura cozido
  • 1 colher sopa Manteiga
  • 1 colher sopa Farinha de trigo
  • 200 ml Leite frio
  • 3 colheres sopa Ciboulette picada
  • À gosto Sal e pimenta-do-reino

Cestinha de Provolone

  • 150 g Queijo provolone ralado

Instruções

  1. Tire os grãos das espigas de milho. Aqueça uma panela e derreta a manteiga. Misture a farinha e deixe cozinhar por 1 minutos, mexendo sempre. Vá colocando o leite aos poucos, mexendo com um fouet (batedor de arames) sem parar, para não empelotar. Cozinhe por 10 minutos e adicione o milho verde. Junte a ciboulette e mais um pouco de manteiga gelada e misture bem.
  2. Aqueça uma frigideira para ovos e polvilhe um pouco de queijo provolone, até cobrir o fundo. Deixe cozinhar até estar desgrudando da panela. Vire com uma espátula e deixe por mais um tempinho. Coloque o disco em uma taça pequena e molde com uma colher. Espere esfriar e retire. Repita a operação até completar oito cestinhas.
  3. Coloque o creme nas cestinhas, polvilhe bacon frito picado e sirva como entrada, uma para cada pessoa.

Vieiras em Xerez

A receita de hoje é uma daquelas para você guardar com carinho. Uma Entrada fantástica com o fruto do mar que mais gosto, a vieira. Simples, rápida e sofisticada, este prato cai como uma luva abrindo um evento onde a carne vermelha será a estrela.

Vieiras em Xerez 1

As vieiras, assim como a grande maioria dos moluscos, exigem atenção no tempo de preparo, que sempre deve ser rápido, não as tornando “borrachudas”. A forma mais bonita de servir vieiras é em sua própria concha, mas é claro que se você não encontrar,  nada impede de servir em um prato pequeno. O importante é preparar.

Em tempo: você encontra vieiras em boas peixarias ou congeladas em lojas gourmet e alguns supermercados.

[box type=info]O xerez (em castelhano, jerez; em inglês, sherry) é um tipo de vinho fortificado, licoroso, típico da Espanha, envelhecido no sistema de soleira. Seu nome é derivado da região onde é elaborado, Xerez da Fronteira (em castelhano, Jerez de la Frontera). A palomino é a uva mais usada para se produzir os vinhos xerez, constituindo cerca de 95% das uvas utilizadas na produção do xerez. Para a produção, as uvas palomino são esmagadas, o mosto é fermentado em barris de aço inoxidável ou de cimento e o vinho é fortificado pela adição da aguardente vínica. Após a adição da aguardente, o vinho é armazenado em barris por cerca de um ano ou dois. A partir daí, começa o processo de solera, quando o vinho passará por diversos cortes. Além da palomino, são muito usadas para a produção do xerez, as uvas Pedro Ximénez e Moscatel. (Wikipedia)[/box]

Vieiras em Xerez

Tempo de Preparo 20 minutes
Cook Time 20 minutes
Tempo Total 40 minutes
Porções 2 pessoas

Ingredientes

  • 2 unidades Vieiras com o coral
  • 1/2 taça Vinho Xerez seco
  • 2 colheres sopa Pimentão vermelho em cubinhos
  • 1 colher sopa Cebola picada
  • 1/2 dente Alho picado
  • 1 colher sopa Azeite de oliva extravirgem
  • À gosto Sal e pimenta-do-reino
  • À gosto Ciboulette picada

Instruções

  1. Aqueça uma frigideira e coloque o azeite de oliva. Frite o alho, a cebola e o pimentão até murcharem. Coloque o vinho e deixe cozinhar até o álcool quase evaporar. Coloque as vieiras e cozinhe virando de vez em quando por 5 minutos.
  2. Coloque as vieira nas conchas, despeje o molho por cima e polvilhe a ciboulette. Sirva quente.

Carne de onça

Inspirada no Steak Tartare francês e na Hackepeter alemã carne de onça é uma daquelas comidas que podemos dizer ser uma instituição de Curitiba. Vários estabelecimentos se esforçam para preparar uma de arrasar quarteirão, ao ponto da cidade ter seu próprio festival da carne de onça.

Carne de onça 1

A receita tradicional é bem modesta. Carne crua sem gordura alguma, cebola, sal, pimenta e cebolinha verde, tudo isto em uma fatia de broa escura, acompanhado de mostarda. Com o passar do tempo outros ingredientes foram se incorporando, com cada lugar criando sua própria alquimia de sabores. Hoje eu trago para vocês a maneira que eu preparo. Vale a pena fazer em casa, abrir uma cerveja gelada e comer como se não houvesse amanhã.

Carne de onça

Tempo de Preparo 10 minutes
Tempo Total 10 minutes
Porções 2 pessoas

Ingredientes

  • 200 g Carne moída sem gordura patinho
  • 1 unidade média Cebola picada
  • 1 pitada Páprica picante
  • 1 colher (chá_ Molho inglês
  • 1 colher sopa Conhaque
  • 1 unidade Gema de ovo
  • 3 colheres sopa Ciboulette picada
  • À gosto Sal e pimenta-do-reino
  • À gosto Mostarda
  • 2 fatias Broa de centeio

Instruções

  1. Misture todos os ingredientes, com exceção da ciboulette. Cubra as fatias de broa com a mistura e distribrua a ciboulette por cima.
  2. Sirva com a mostarda em cima ou à parte.

Risoto de Abóbora com Frescal Desfiado – Juliana Furtado

Hoje no OBA uma super colaboração de minha amiga Juliana Furtado. A Juliana é Chef Proprietária do Átrio Bistrô, especializado em trutas e frescal, pratos muito consumidos nas serras geladas de Santa Catarina. Vale a pena ler e saber mais sobre o frescal, uma iguaria que não é comum de se ver por aí.

A primeira pergunta que surge ao ver o título desse prato é: mas o que é frescal? Vai queijo desfiado?

Bom, frescal é carne semi-curada, em processo herdado dos tropeiros que desbravaram o sul do Brasil.

É típico da Serra Catarinense, e apesar de haver se perdido por aqui, com certeza já fez parte do cardápio curitibano.

A carne recebe sal e fica pendurada em local fresco e escuro (tradicionalmente usava-se os beirais dos telhados, durante a noite). Nada de salmoura, nada de sol. A ideia é selar a carne para que o seu sumo não se perca. Um período de 24 horas geralmente basta.

Preparar frescal é uma arte. E o resultado é delicioso. Sem precisar dessalgar, pode ser consumido grelhado, assado, como churrasco ou desfiado…use como sua imaginação mandar.

Essa receita surgiu da mistura de culturas, da qual faço parte.

Uma amiga minha, também Chef, disse que sentia saudades do risoto de abóbora que comia quando morou da Itália. Tanto me falou nesse risoto que me instigou a preparar um. Arregacei as mangas e criei um risoto italo-catarina. E eu amo essa receita. Por isso, decidi que seria minha primeira no OBA.

Saiba mais sobre a Chef Juliana Furtado.

Risoto de Abóbora com Frescal desfiado

Ingredientes

  • 200 g Frescal cozido e desfiado
  • 1 colher sopa Manteiga
  • 1 dente Alho picado
  • 1 folha Louro
  • À gosto Cominho e pimenta calabresa
  • 1 xícara Arroz Arbóreo
  • 1 xícara Vinho branco seco
  • 1 litro Caldo feito com cebola alho, sal e pimenta-do-reino
  • 200 g Abóbora Cabotiá picada
  • 1 colher sobremesa Açúcar mascavo
  • 1 colher sopa Óleo de girassol
  • 1 colher sopa Manteiga
  • À gosto Ciboulette picada

Instruções

  1. Refogue o alho, junte o frescal desfiado e os demais temperos (cominho, louro e pimenta calabresa). Deixe refogar levemente. Reserve.
  2. Prepare 1 litro de caldo fervendo 1 cebola picada, 4 dentes de alho picados, sal e pimenta a gosto. Coe o caldo. Mantenha quente, em fogo baixo.
  3. Cozinhe a abóbora em água suficiente para cobrir, com o açúcar mascavo, até que fique macia. Bata no liquidificador, com a água, formando um purê leve.
  4. Refogue o arroz no óleo de girassol, e em seguida junte o vinho. Deixe secar.
  5. Vá juntando o caldo aos poucos. Na metade do caldo, ou quando o arroz estiver começando a amolecer, junte o purê de abóbora. Vá acrescentando caldo, até o arroz ficar ao dente. Ao final, corrija o sal, a pimenta e também o açúcar - esse risoto deve ficar adocicado. Junte a manteiga e a cebolinha, e misture.
  6. Aqueça rapidamente o frescal refogado e sirva sobre o risoto.
  7. Uma salada de rúcula e queijo grana, e um bom chardonnay completam o jantar.
  8. Bom apetite!
  9. PS: Quer preparar esse risoto incrível, mas sem frescal? Não tem problema, substitua por carne de sol, charque ou até por carne fresca... o que mais importa é caprichar no tempero. Sem esquecer do amor em cada passo da receita.

Carne Cruda

Encontramos pratos com carne crua em vários países do mundo. Cada qual com sua particularidade, seja na maneira de preparo, seja nos ingredientes que o compõe. Desde o Carpaccio até o Steak Tartar, passando por nossa Carne de Onça, carne crua tem seus fãs espalhados em toda a parte. Eu sou um deles.

Preparar estes pratos não requer nenhuma habilidade. O que é fundamental, por razões lógicas, é o uso de ingredientes frescos ao extremo. Nesta versão que apresento hoje, baseada na Carne Cruda servida na região do Piemonte, Itália, a carne aparece escoltada de cebola, alho, azeite de oliva, suco de limão, cogumelos e alcaparras.

Carne cruda 1

No Piemonte esta carne não leva alcaparras. Ao invés de cogumelos frescos, a receita original é servida com fatias de trufas, o que tornaria este prato um tanto difícil e caro por aqui.

O resultado é uma delícia. Uma bela sugestão para servir de entrada quando seu prato principal for um peixe, por exemplo. Eu servi em um copinho, ao melhor estilo Verrine (ver box). Você pode moldar e servir em pratos pequenos.

[box type=info]Verrine é a nomenclatura dada a pratos que são servidos em copos, normalmente pequenos. Trata-se de um prato da culinária moderna, normalmente usado para entradas e sobremesas. É uma variação de verre, que, em francês, significa copo. No começo, era usado somente com doces. Hoje, pratos salgados também fazem parte do cardápio de verrines. [/box]

Carne Cruda

Tempo de Preparo 30 minutes
Tempo Total 30 minutes
Porções 4 pessoas

Ingredientes

  • 500 g Filé Mignon
  • 1 unidade pequena Cebola picada
  • 1 dente Alho picado
  • Suco de 1 unidade Suco de limão siciliano
  • 2 colheres sopa Azeite de oliva extravirgem
  • 2 colheres sopa Alcaparras
  • 8 unidades médias em lâminas Cogumelo Shitake fresco
  • 2 colheres sopa Ciboulette picada
  • 50 ml Conhaque
  • 1 colher chá Molho Inglês
  • À gosto Sal e pimenta-do-reino moída na hora

Instruções

  1. Com uma faca bem afiada, pique a carne o mais que você conseguir (caso prefira, passe duas vezes pelo moedor de carne). Aqueça um pouco de azeite em uma frigideira e grelhe o cogumelo levemente.
  2. Misture bem a carne com todos os ingredientes (com exceção do cogumelo). Divida a carne em quatro porções. Sirva com os cogumelos por cima. Pode acompanhar torrada ou não.