O bolinho de carne mais famoso do mundo.

Hoje é comemorado o Dia Internacional do Hambúrguer. Não me perguntem a razão. Afinal, se tem dia para tudo, porque não teria para hambúrguer?

Para comemorar, resgatei uma matéria aqui do OBA Gastronomia, onde passo a receita de hambúrguer caseiro, o melhor que você pode experimentar.

O hambúrguer tem origem alemã. Durante o século XVIII eram servidos nas refeições acompanhado de batatas e cebolas. O nome surgiu inspirado nos dos marinheiros do Porto de Hamburgo. Quando partiam para a Rússia, cozinhavam estes bifes nas refeições.

Foi através dos imigrantes alemães que eles chegaram à América. Logo passaram a se chamar Hamburger Beef (bifes ao estilo hamburguês). No final do século XIX, através de Louis Lassen (dono de uma lanchonete em Connecticut) o hambúrguer começou a ter uma conotação comercial. Louis começou a servi-lo para atrair clientes

Na década de 20, a versão em pão tomou impulso, passando a ser uma alternativa ao Hot Dog. E o resto da história, todo mundo imagina!

Hoje passarei a minha receita para hambúrguer! Espero que vocês aprovem!


1 ovo

Ingredientes

  • 500 g carne moída patinho
  • 1 unidade ovo
  • 1 unidade pãozinho amanhecido
  • 1 média bem picadinha cebola
  • 1 punhado picada salsinha
  • 1 colher chá mostarda picante
  • 50 g em cubos pequenos bacon
  • 50 g queijo parmezão ralado
  • Sal e pimenta-do-reino

Instruções

  1. Amoleça o pãozinho em água morna. Esprema bem e adicione à carne. Junte os outros ingredientes e misture tudo muito bem. Com as mãos umedecidas em água, forme 3 hambúrgueres no formato desejado (redondo, oval ou quadrado). Deixe descansar na geladeira por 2 horas antes de utilizá-los.
  2. Depois, grelhe seu hambúrguer e crie seu sanduíche como desejar. Alface, tomate, queijo, presunto, ovos fritos, cebolas crocantes...tudo o que você sempre sonhou. As possibilidades são suas.
  3. Pode até exclamar: Amo muito tudo isto!
  4. Aproveite o dia de hoje e coma sem culpa e sem medo de ser feliz! Hambúrguer é tudo de bom.

Orlando Baumel

Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Este post tem 2 comentários

  1. O uso de patinho num hambúrguer é desnecessário; filé mignon ou picanha, como se vê em restaurantes que se pretendem chiques e abusam da falta de raciocínio das pessoas, chegam a ser um despautério.

    A razão de ser do hambúrguer é amaciar uma carne dura, porém saborosa. Hambúrguer de picanha, portanto, é desperdício de dinheiro; de filé mignon é um absurdo, já que ela não é das mais saborosas e já é macia por natureza.

    No lugar do patinho, uma carne mais barata e gostosa, com o volume necessário de gordura, faz exatamente o mesmo efeito.

    1. A indicação de patinho é uma questão pessoal. Além de ser a melhor carne para a maioria de preparadas em que ela é moída, não é uma carne cara, muito pelo contrário. Com relação a usar picanha ou mignon, também acho absurdo, se bem que a picanha confere um sabor próprio ao hambúrguer.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu