É época de Caranguejo

Quando chega o dia 1 de dezembro aqui pelo estado do Paraná, uma grande quantidade de fãs inveterados de caranguejos começa a sorrir à toa. É quando acaba o defeso e a captura fica permitida. Deste dia até o dia 14 de março de 2018, é a época de matar toda a vontade de saborear este crustáceo tão delicioso. Hora de encher os caldeirões, retirar as tabuinhas e martelinhos da hibernação e partir para o ataque como se não houvesse amanhã.

Apesar de muita gente achar trabalhoso comer caranguejos, o processo não requer técnicas mirabolantes e demoradas. Um pouco de jeito ao dobrar as garrinhas, soltar a carne, molhar no molho, mais uma tábua e um martelinho é tudo que você vai precisar. Um pano para ir limpando as mãos é primordial.

Para preparar, você tem três opções para pedir nos locais especializados em sua venda: vivos, mortos e com a carapaça e mortos e sem a carapaça. Eu opto sempre em pedir os bichinhos já mortos e sem a carapaça. Uma questão de preferência. Claro que compro em locais idôneos, onde os caranguejos são mortos na hora da compra.

Vinagrete básico para acompanhar

Na hora de cozinhar, cada um tem uma receita própria que vai desde o acréscimo de ervas frescas até o uso de leite de coco. De minha parte, cozinho apenas com cebolas em quartos, um amarrado de cheiro verde e louro, uma latinha de cerveja para cada caldeirão, sal grosso no olho e só. Para acompanhar, um vinagrete com tomate em cubinhos, cebola e cheiro verde e, se você tiver, um feijão cozido bem temperado.

O tempo de cozimento gira em torno de meia hora depois que a água começa a ferver. É esperar os caranguejos ficarem vermelhos, contar mais uns 20 minutos, ver se está soltando bem as garras, e ir servindo aos poucos, mantendo os próximos na água quente.

Depois de ter se deliciado com as garras menores, é a hora de degustar o “filé mignon” do caranguejo, sua patola. Ela sempre exigirá o uso do martelinho. Uma batida seca, para não destruir totalmente a garra, e você chega no tão esperado troféu.

Reunir amigos para uma Caranguejada é uma das melhores coisas que a vida pode oferecer. Comer sem pressa, tomando cervejas e caipirinhas, com amigos queridos não tem preço. Se você é fã, é a época de se esbaldar. Se você tem alguma restrição pessoal quanto a comer caranguejos, é a época de experimentar. Tenho certeza que a partir do dia 15 de março você estará contando os dias para a chegada da próxima temporada.

Festival do Caranguejo – Canavieiras – BA

Amantes de um suculento caranguejo tem destino certo neste final de semana. De 11 até 15 acontece em Canavieiras o Festival do Caranguejo, uma festa dedicada ao crustáceo mais popular da orla baiana. Além de atrações musicais como Jau, Pablo, Filomena, Packanka, Sinho Ferrari e Kiko Salli, o vento também contará com diferentes pratos que a estrela do festival como base.

Com valores que variam de R$ 3,50 a R$ 40,00, restaurantes como Rosa Morena, Cabana Sonho Dourado, Dribeto lanches, Cantinho da ZEZÉ, Corona lounge pub e Cabana Nativa oferecem as mais variadas opções.

Entre os pratos, salada, fritada, moqueca, caldo, hambúrguer, arroz, rondelli recheado, casquinha, risoto, linguini, marinado e sushi, sem faltar o prato típico da região a Cabeça de Robalo, uma espécie de catado de caranguejo, acompanhado com pirão, vinagrete e pimenta e o tradicional caranguejo cozido.

O evento reunirá gastronomia e música, passando por tópicos como degustação de pratos típicos, feira gastronômica e de artesanato, aulas shows com chefs, workshops, palestras e concursos temáticos. Ocorrerá em duas áreas físicas da Cidade de Canavieiras. Parte acontecerá na Praia, onde se montará o caranguejódromo, barracas credenciadas, palcos e competições.

Haverá também ofertas de pratos como bolinho de poã, poã a milanesa e poã recheada, ainda haverá espaço para debate cientifico e capacitação para a comunidade envolvida no pescado, manuseio e comercialização do produto.

Canavieiras tem um dos maiores habitat do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) que vivem exclusivamente áreas de manguezal, sendo esse um ecossistema costeiro, de transição entre os ambientes terrestre e marinho, provendo uma farta oferta de alimento e retém detritos, com sumária importância para a vida de várias espécies marinha e também para as que habitam a área de transição.


A cidade se destaca como uma das mais relevantes na culinária de peixes, mariscos e envolvidos dentre as cidades do litoral da Bahia. Uma variada oferta de produtos compõem os cardápios de bares e restaurantes do município. Com caranguejo são feitos catados, moquecas, mariscadas, Paella, Caranguejo Cozido, Puãs Empanadas, saladas, tapiocas, pizzas, lasanhas e casquinhos, o famoso prato Cabeça de Robalo, de origem e exclusivo da culinária Canavieirense.

Serviço
Festival do Caranguejo
​​Dias: 11 e 15 de outubro
​Onde: ​Canavieiras​/Sul da Bahia​
​Aberto ao Público ​

Restaurante Rosa Morena
Salada de caranguejo – Salada de Caranguejo, chips de beterraba e inhame e purê de cenoura
R$ 29,00
Serve uma pessoa
Av. Beira Mar 136
Todos os dias das 9h00 às 17h00

Cabana Sonho Dourado
Fritada de caranguejo – Moqueca de catado de caranguejo com crosta
R$ 25,00
Serve uma pessoa
Av. Beira mar 32
Todos os dias das 08h00 às 18h00

Cabana Salina
Moqueca de caranguejo no coco – Moqueca de catado de caranguejo no coco com pirão
R$ 59,00
Servem duas pessoas
Av. beira mar 194
Todos os dias das 08h00 às 18h00

Cabana Nativa
Cabeça de Robalo – Catado de caranguejo, com pirão, vinagrete e pimenta.
R$ 40,00
Servem duas pessoas
Av. Beira Mar 208
Todos os dias das 8h00 às 18s00

Restaurante Quero Mais
Torta Da mama – Torta de catado de caranguejo com crosta de ovos
R$ 37,00
Servem duas pessoas
Praia da costa
Todos os dias das 10h00 às 17h00

Cabana Olho no Sol
Cabeça de robalo – Catado de caranguejo, farofa e vinagrete
R$ 12,00
Serve uma pessoa
Av. beira mar 224
Todos os dias das 8h00 às 17h00

Cabana Tijolinho
Caldo de caranguejo – Caldo de catado de caranguejo com coco crocante e molho especial
R$ 12,00
Serve uma pessoa
Av. beira Mar 660
Todos os dia das 8h00 às 18h00

Dribeto Lanches
Hambúrguer gourmet de catado de caranguejo – Bland de catado de caranguejo com maionese de dendê e cebola na chapa.
R$ 12,00
Serve uma pessoa
Todos os dias das 18h00 às 00h00

Cantinho da ZEZÉ
Arroz de caranguejo – Arroz de catado de caranguejo com saladas
R$ 40,00
Servem duas pessoas
Pça. Eduardo campos 48 sitio histórico
Todos os dias das 11h00 às 22h00

Makaira Beach Resort
Rondelli recheado – Massa de rondelli com recheio de catado de caranguejo com molho de tomate caseiro
R$ 40,00
Servem duas pessoas
Avenida beira Mar, Barra norte s/n.
Km 6
Todos os dias

Lanchonete Por Aqui
Hamburg de caranguejo – Carne de caranguejo queijo presunto e saladas
R$ 15,00
Serve uma pessoa
Pça. Eduardo Campos, Sitio Histórico
Todos os dias das 8h00 às 00h00

Cabana Mano
Cabeça de Robalo – Catado de caranguejo pirão, arroz
R$ 25,00
Servem duas pessoas
Avenida beira mar 1080
Todos os dias das 8h00 às 18h00

Cabana Keete
Caranguejo cozido – Caranguejo inteiro
R$ 3,50
Serve uma pessoa
Av. Beira Mar
Todos os dias das 8h00 às 18h00

Restaurante Frutos do Mar
Caranguejo dos campinhos – Catado de caranguejo com crosta de tapioca e arroz de banana da terra
R$ 23,90
Pça. Eduardo Campos 18, Sitio histórico
Todos os dias das 10h00 às 00h00

Corona Lounge Pub
Casquinha de Caranguejo – Catado de caranguejo e farofa
R$ 13,00
Serve uma pessoa
Avenida beira Mar
Todos os dias das 10h00 às 00h00

Restaurante Alegria de Viver
Risoto de Caranguejo – Risoto de catado de caranguejo com ervas finas e queijo ricota
R$ 60,00
Servem duas pessoas
Avenida beira mar 836
Todos os dias das 9h00 às 17h00

Restaurante Casa Verde
Linguini com caranguejo – Catado de caranguejo com uma massa italiana caseira e abobrinha refogado
R$ 30,00
Serve uma pessoa
Av. Felinto Melo 60 sitio histórico
Aberto a partir das 11h00 às 00h00

Restaurante Sete Portas
Caranguejo Marinado – Tagliatelle ao molho de caranguejo marinado na cerveja e tomate
R$ 35,00
Servem duas pessoas
Sitio Histórico
Todos os dias das 9h00 às 00h00

La Dolce Vita Lanchonete
Piadine de caranguejo – Piadina italiana c/ricota de caranguejo, rúcula e queijo
R$ 19,00
Sitio histórico
Aberto a partir das 9h00 às 00h00

Croquetes de Caranguejo

Esta é uma semana triste para os amantes de caranguejos aqui no Paraná. É a última antes do defeso, onde a captura é proibida até a próxima temporada, que reinicia somente no dia 1 de dezembro. Para não ficar completamente órfão, sempre que faço caranguejada por aqui reservo alguns, retiro a carne e congelo. Dá um trabalho bom, mas as coisas que você pode preparar com a carne compensam. Desde a tradicional maionese, passando por risotos, salpicão e claro, croquetes.

Croquete de caranguejo

Estes bolinhos crocantes e de preparo rápido são perfeitos para servir em uma reunião entre amigos, jogando conversa fora e degustando uma bela cerveja gelada. O segredo deste está em usar Farinha Panko, a farinha de rosca japonesa.  O resultado é um crocante maravilhoso. Vale a pena você procurar, senão use a normal.

[box type=info]Panko é a palavra japonesa para migalhas de pão ou farinha de pão, ela é mais leve, e mais crocante que a versão tradicional ocidental de farinha de rosca. A farinha panko pode ser usada de qualquer modo que a farinha de rosca seria usada, particularmente para empanar carnes e peixes. (e-How Brasil)[/box]

Croquetes de Caranguejo

Tempo de Preparo 15 minutes
Cook Time 10 minutes
Tempo Total 25 minutes
Porções 20 bolinhos

Ingredientes

  • 200 g Carne de caranguejo desfiada
  • 1/2 unidade médio Pimentão amarelo ou vermelho picado
  • 1/2 unidade pequena Cebola picada
  • 2 colheres sopa Cheiro-verde (salsinha e cebolinha) picado
  • 1 colher sopa Mostarda de Dijon
  • 1 colher chá Molho inglês
  • 50 g Farelo de pão adormecido
  • 1 unidade Ovo
  • Suficiente para empanar Farinha Panko ou farinha de rosca normal
  • À gosto Sal
  • 1/2 xícara Óleo de girassol

Instruções

  1. Misture todos os ingredientes (menos a Farinha Panko). Monte bolinhos com o auxílio de 2 colheres e empane na Farinha Panko. Leve para o freezer e deixe por 15 minutos.
  2. Aqueça o azeite em uma frigideira funda e frite os bolinhos em fogo médio, até que dourem de todos os lados. Retire e escorra em papel toalha. Sirva com limão e molho de pimenta.

Tempo de Caranguejos

Quando chega o comecinho de dezembro aqui pelo sul do Brasil, acaba a época do defeso do caranguejo e os aficionados pela carne branca, suave e deliciosa destes bichinhos não muito bonitos começam a ficar tremendamente impacientes. É hora de chamar amigos, reativar tabuas e martelinhos e marcar a primeira Caranguejada da temporada.

Caranguejada não é um evento para pouco tempo. O mínimo necessário é uma tarde inteira. Caranguejo deve ser comido sem pressa nenhuma, com  a pressa e indolência típica dos caiçaras. Não que isto seja um defeito, ao contrário. Tem como fazer algo com pressa depois de todo o trabalho de pesca, limpeza de pescados, entre outros afazeres? Coloque aí a caça ao seu caranguejo. No meio do mangue, eu garanto, não é a tarefa mais agradável de se praticar.

Certos utensílios básicos são fundamentais em uma Caranguejada. Uma panela de bom tamanho, que caiba por volta de 6 dúzias de caranguejos, é bem vinda. De preferência alta. Uma boa boca de fogão também é imprescindível. Eu sugiro para quem curte caranguejos investir em um fogãozinho de alta pressão, de duas bocas. É um investimento barato e vai te servir para muita coisa.

Caranguejo

Tabuas e martelos próprios também são fundamentais. Você encontra facilmente em lojas de artesanato, de todos os tipos e para todos os gostos.

Caranguejos, em minha humilde opinião, não exige qualquer tratamento especial. Claro que você pode usar a carne para outras preparações mais sofisticadas, mas quando se trata de devorar assim, ao ar livre e entre amigos, a simplicidade é o que conta.

Caranguejo 1

Para acompanhar, um “vinagrete de igreja”. Sim, este mesmo: óleo, vinagre, tomate, cebola, cheiro-verde e sal. Uma pimenta dedo-de-moça também cai bem, mas não é fundamental. Para cozinhar os bichinhos, água e cebola em quartos. Isto, para mim, já é suficiente.

De uma coisa eu não abro mão em uma boa Caranguejada: feijão preto, bem temperado e com o caldinho grosso. Uma garfada de feijão com a carne da patola devidamente separada e reservada não tem preço.

Caranguejo 3

Uma outra questão é a maneira que você encomendará seus caranguejos. Vivos, com a carapaça ou pedir para matar antes e tirar a carapaça. Eu, de novo em minha humilde opinião, peço sem a carapaça e já limpos. Acho uma coisa meio mórbida colocar os bichinhos vivos na água fria e ir aquecendo até que a temperatura os mate. Questão de gosto.

Não posso esquecer de panos (sem chances cada pessoa não ter um para si) e tigelas pequenas para ir jogando as cascas. Muitos. A falta destes singelos acessórios é a linha entre a coisa organizada (na medida do possível) e o caos total.

Caranguejo 2

No mais, risadas, cervejas, caipirinhas, música boa e a vontade de já marcar a próxima. Vamos aproveitar esta época de caranguejos aqui no sul do Brasil. Quando vemos, já vem outro defeso e ela já passou.

[box type=info]Caranguejos (também conhecidos como uaçásauçás e guaiás ) são os crustáceos da infraordem Brachyura, caracterizados por terem o corpo totalmente protegido por uma carapaça, quatro pares de patas (pereópodes) terminadas em unhas pontudas, o primeiro dos quais normalmente transformado em fortes pinças. (Wikipedia)[/box]