O OBA Gastronomia de hoje é especial. Uma bela colaboração da Dora Urban enfeita sua página. Conheci a Dorinha aqui em meu espaço, no Sarau do OBA, com sua voz doce encantando todos.  A Dora tem muitas facetas, surpreende sempre. A mesma Dora da voz doce dos saraus é a Dora poderosa das canções revolucionárias do Partigianos. Tem a Dorinha dos cães e gatinhos, a Dora tímida e a Dora “pimpona”. E tem a Dora dos pães, do seu primeiro Pão de Levain, o pão de fermentação natural, que exige tempo e carinho de quem se propõe a prepará-lo. Carinho a Dorinha tem de sobra e a quarentena lhe deu tempo. Hoje quem fica todo “pimpão” é o OBA Gastronomia por poder compartilhar algo tão doce de minha amiga mais que especial.

Só de ler as receitas já tinha medo.

Uma amiga minha, super habilidosa, a Cintia Suzuki, decidiu fazer. Claro que com ela daria certo do começo ao fim. E eu ficava admirada, como fico com tudo que ela faz. É daquelas que faz até guioza, sabe? Da massa ao recheio.

Então, aí pensei, não é pro meu bico, deixa prá lá…

Mas sempre boba de ver cada pão, cada pizza, e até os panetones (que fora a parte do levain) fizemos juntas para o Natal.

Ela me ofereceu a semente e tudo, menina generosa que só, mas não tive coragem. 

Pensava: Ah, se morrer vou ficar arrasada!!!

Passa o tempo, meu primo, outro ousado cozinheiro, me oferece… novamente agradeço, mas recuso, não dou conta….

Aí a quarentena chega em nossas vidas, e vou cozinhando, fazendo pães com fermento industrializado. Meu marido adora um pãozinho saído do forno, tava bem contente. 

E eu vendo os pães da minha amiga e do meu primo, e pensava, nossa, deve estar bom, hein?!

Sou vizinha quase de porta deste primo, e um dia ele me deu um dos seus pães. Virgemnossasenhoraparecida!!!! Que coisa boa! O marido foi ao céu e voltou em total êxtase. Novamente o primo ofereceu a sementinha, e levada pelo tédio da quarentena, e a experiência do pão bom, aceitei. Me pelando de medo, mas aceitei.

Veio o potinho, fiz meu primo explicar mil vezes. Entrei em casa, segui os primeiros passos, fotografei (viva o whattsapp!!), esperava a aprovação dele, seguia adiante, e assim foi. Chegou o dia do “Despertar do Levain” para fazer o pão. Comecei cedinho, oito da matina, e fotografando, esperando o “joinha” dele até o dia seguinte, as dez da manhã quando foi para o forno.

Demora? Demora sim. Vale a pena? Cada minuto. O pão saiu lindo, cheiroso, fofinho por dentro, crocantinho por fora… um negócio de doido.

Muito orgulhosa do feito. 

Agradeço ao primo Gunther Furtado por toda paciência e ensinamentos. Aos queridos Orlando e Karoline pelas trocas de informações e incentivos.

Foi uma das melhores experiências que tive na cozinha, não só pelo resultado, mas prá me dar coragem para alçar outros vôos.

Aqui a receita da Dora, passada exatamente como ela me escreveu.

60g de farinha, 60 ml de água

faz uma massinha, e mistura com 30 g do levain

Cobre com um pano úmido e deixar em lugar fresco e sombreado por, no mínimo 8 horas

Em outra tigela 300g de farinha com 175ml de água. Faz outra massinha, deixar descansar por meia hora

Passada a meia hora misturar nesta massinha 7g de sal, uma colher de sopa de açúcar e uma colher de sopa de azeite ou manteiga

depois junta o levain

aí sovar… por no mínimo 15 min

aí descansar por no mínimo 2 horas e meia, ou crescer bonito

aí abrir a massa, modelar, deixar crescer novamente (até ficar bonitão, como meu primo diz) e forno a 230 graus, até ficar bonitão, no mínimo, meia hora.

pronto!

Foto: João Urban

Um beijo e muito obrigado, Dora! Contando os minutos para te ouvir aqui no OBA.  Você e toda sua família maravilhosa!

Orlando Baumel

Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Este post tem 3 comentários

  1. Obrigada pelo carinho imenso, Orlando!!!

  2. Adorei essa Dora dos pães, tão mágica e amorosa qto as outras. Só imaginando o cheirinho de pão assando e a Dora cantarolando enquanto isso.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu