Algo muito interessante acontece quando pessoas se juntam ao redor da mesa de refeições. O “eu” deixa de ser sozinho. Se conversarmos, ouvirmos música ou poesia, o “eu” toma uma proporção gigantesca, fica do tamanho do outro. Desconfio que esse prazer em ficar junto, trocar ideias é responsável por um tipo de salto evolutivo. Sim, cada vez que compartilhamos nosso tempo, nossa disponibilidade e nossa arte, potencializamos quem somos. É como se um se tornasse degrau do outro, continuamente . Os saraus do Oba existem por isso. Compartilhar boa comida, boa música e sobretudo, boa companhia. Não consegui ir a nenhum sarau ainda, mas não vejo a hora. Hoje, aqui de longe, me emocionei com a Dora Urban cantando “O pomar das Laranjeiras” Música linda, voz linda, voz de anja. 

Alguém me conta, por favor, como estava a feijoada? A couve estava bem fininha? Teve piada da couve? Quem era o mais falante? Alguém sabe pq o Orlando às vezes toca virado para a parede? Quando eu for vai ter feijoada de frutos do mar? Foi tudo lindo! Em nome do Orlando e do Oba, muito obrigada! 

Não sou dada a juramentos, mas 

Jurarei Estar presente Sempre que possível… E preparar a sobremesa!

Dora Urban por João Urban

 

 

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu