O Hambúrguer que você compra…e come!

virado feijão
Picadinho Paulista – Le Vin Bistrô – São Paulo
19 de janeiro de 2015
Antepasto de shimeji
Antepasto de Shimeji Rápido (Mesmo)
21 de janeiro de 2015
Mostrar todos

Não sei exatamente a quantidade de hambúrgueres consumidos no Brasil por ano, mas tenho certeza que compete com a de pastéis, cachorros quentes e outras comidas para serem consumidas rapidamente. É inacreditável a quantidade de lojas especializadas nos bifes redondos, sem contar os bares, panificadoras, etc. Em qualquer canto você encontra sanduíches com hambúrgueres. Para ter uma pequena ideia, são consumidos no mundo inteiro a impressionante quantidade de 12.528.000 hambúrgueres cada vez que a Terra dá uma volta completa em seu eixo, ou seja, 145 por segundo.

Hamburguer

As lanchonetes começaram a chegar ao Brasil em 1952, quando o tenista americano Robert Falkemburg fundou o primeiro Bob·s em Copacabana, no Rio. Três anos mais tarde, o empresário Flávio Galante abria em São Paulo os seus Hot Dogs, lanchonetes destinadas a atrair o público dos cinemas da região da rua Augusta. Como no resto do mundo, também aqui o hambúrguer entrou para a linha de montagem. Com um sistema de licenciamento que permite a proprietários de lojas usar uma marca conhecida, desde que sigam os padrões de qualidade da firma original, algumas lanchonetes dispõem até de computadores que programam o tempo de duração da fritura. (Super Interessante/Abril 1988)

Você provavelmente já deve ter comido vários sanduíches com hambúrgueres industrializados por diversas empresas aqui do Brasil, mas sabe exatamente o que está comendo? Esta semana adquiri a excelente revista Dossiê Super Interessante – Comida de Verdade, que traz dicas sensacionais para você ter uma alimentação consciente, saudável e deliciosa. Dentre os tópicos, um trata exatamente de hambúrgueres, fazendo um paralelo sobre os industrializados e os feitos em casa. Reproduzo aqui o texto da revista sobre como é feito o hambúrguer industrializado:

HAMBÚRGUER CONGELADO

Fórmula: Carne mecanicamente recuperada de frango, água, gordura bovina, carne bovina, carne de ave, proteína vegetal de soja, maltodextrina, sal, coentro, aromas naturais de: carne, cebola, alho, pimenta preta, bacon e fumaça, estabilizante tripolifosfato de sódio INS451i, realçador de sabor glutamato de sódio INS621.

Dezenove ingredientes. Trinta e dois por cento do sódio que você deve ingerir em uma porção de 80 gramas. Como principal componente, carne mecanicamente recuperada: também conhecida como os restos do frango que ficaram colados na carcaça do animal e foram arrancados com ajuda de máquinas.

Como parâmetro, a revista traz a receita de hambúrguer caseiro, preparado com menos da metade de ingredientes e bem mais saudável e saboroso. Tudo isto gastando quase a mesma coisa de um industrializado (ou até menos) e ainda podendo abusar da criatividade no preparo. Aqui no OBA Gastronomia já tivemos vários exemplos. Desde o Hambúrguer Tradicional até um Hambúrguer com Linguiça Blumenau.

O hambúrguer é tanta unanimidade que até já foi motivo de vídeo em nosso canal, o OBA Gastronomia TV. A receita da vez leva linguiça.

Na próxima vez que pensar em comer um belo cheese salada, não pense duas vezes e prepare seu próprio hambúrguer. É simples, rápido e o resultado incomparável.

E adquiram a revista Dossiê Super Interessante – Comida de Verdade. Vale a pena ter em casa!

Print Friendly, PDF & Email
Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

3 Comentários

  1. Marcus disse:

    não são todos que possuem carne mecanicamente separada, é só ler na caixinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: