Ponkans, Tangerinas, Bergamotas, Mimosas…Qual a diferença?

Carpaccio de Cogumelos
2 de agosto de 2013
Design e um pouco de História
4 de agosto de 2013
Mostrar todos

Vivemos em um país continental, um país que uma pessoa do sul às vezes não entende o que uma pessoa do norte fala e vice-versa. Sotaques, gírias, trejeitos e a melodia ao falar muda em poucos quilómetros. Um país colonizado por muitos povos, que é claro que só poderia dar em uma diversidade extraordinária de maneiras de se expressar.

Isto reflete em quase tudo. O que aqui no sul chamamos de sinal (de trânsito), em São Paulo chamam de sinaleira, só para exemplificar algo que muda em 400 Km. Com frutas, verduras, cortes de carne, não seria diferente. A nossa Banana Maçã não é a mesma dos cariocas ou dos nordestinos, e vai por aí.

Estamos chegando ao fim de algumas das frutas que mais sou fã: mimosas, ponkans, tangerinas, etc. Todos com o mesmo jeitão e o mesmo sabor ácido delicioso. Para acabar um pouco com esta confusão do que é o que, reproduzo aqui uma matéria do excelente site Mundo Estranho. Vale a pena ler.

Tangerina

Tanto a ponkan quanto a mexerica são tangerinas, com sabor, aroma e aspecto bem parecidos. Entretanto, as duas variedades apresentam diferenças importantes. “A principal é que a mexerica vem da planta Citrus deliciosa, enquanto a ponkan se origina da espécie Citrus reticulata, de onde surge também a maioria dos outros tipos de tangerinas”, afirma o engenheiro agrônomo Ygor da Silva Coelho, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), de Cruz das Almas (BA). Os especialistas ainda apontam uma outra distinção: a mexerica possui em sua casca muito mais óleos essenciais – substâncias que deixam aquele cheiro forte e ácido quando se descasca a fruta – do que a ponkan. Outra fonte de confusão são os diferentes nomes que a mexerica recebe em todo o país. “No Rio Grande do Sul, ela é chamada de bergamota.

Em outras regiões, o nome muda para mimosa, mas a fruta é sempre a mesma”, diz a bióloga Rose Mary Pio, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Assim como a maioria dos cítricos, a tangerina provavelmente surgiu na Ásia, na região onde hoje estão países como Índia, China, Birmânia e Malásia. De lá, ela foi levada para o norte da África e seguiu para o sul da Europa durante a Idade Média. No Brasil, a primeira referência sobre a tangerina aparece em escritos do padre Manuel Aires de Casal, em 1817. A fruta logo se adaptou ao clima do país, que hoje é o quarto maior produtor mundial de tangerinas – os três primeiros são China, Espanha e Japão. Sorte dos brasileiros, que podem aproveitar todos os benefícios nutricionais dessa fruta. “Da mesma forma que a laranja, o limão e outras frutas cítricas, a mexerica e a ponkan também são bastante ricas em vitamina C. Uma outra vantagem adicional é que os gomos possuem muita fibra. Por causa disso, o consumo dessas variedades ajuda na digestão”, afirma Rose.

[box type=ok]Gomos em família – Apesar de parecidas, cada fruta tem sabor e aroma distintos

TANGERINA PONKAN:A maioria das tangerinas vem da espécie CitCitrus reticulatarus reticulata, mas cada variedade possui tamanho, aroma e sabor próprios. No Brasil, a variedade mais famosa é a ponkan, que tem gosto mais doce em comparação com as outras tangerinas. Outro tipo popular é a tangerina-cravo, que amadurece antes da ponkan e produz frutos mais ácidos. Como a fruta precisa de clima ameno para crescer, as principais plantações ficam nas regiões Sul e Sudeste

MEXERICA: Parece bastante com a ponkan, mas vem Citrus deliciosa, de uma planta diferente, a Citrus deliciosa, que dá frutos menores e ligeiramente mais ácidos que os do pé de ponkan. Outra distinção é que a mexerica se adapta bem a climas tropicais e cresce em todo o país. Atualmente, o tipo mais cultivado é a mexerica do rio. Seus óleos essenciais – substâncias que dão aquele cheiro peculiar à casca – servem como aroma de suco na indústria

MURCOTT: Essa fruta híbrida, nascida do cruzamento da tangerina com a laranja, também é chamada de murcote ou morgote nos supermercados brasileiros. Em comparação com as tangerinas e as mexericas, a murcott tem mais sementes e um gosto mais próximo do da laranja. Outra distinção é que sua casca não se solta com tanta facilidade. Na indústria, a fruta é a principal matéria-prima para os sorvetes de tangerina

[/box]

Fonte: Site Mundo estranho

Print Friendly, PDF & Email
Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: