A alma do chocolate.

Passeando hoje pelo Mercado Municipal de Curitiba, deparei-me com cacau.

Esta fruta típica dos países tropicais, com temperaturas mais quentes e tão difícil de achar por aqui, no sul do Brasil. Fruto do cacaueiro, ela foi encontrada em sua forma nativa no século XIX, na região amazônica.

De suas sementes, depois de torradas e moídas, tem origem o cacau em pó e o chocolate. Teve um papel importantíssimo na economia do Brasil dos séculos XVII ao XIX. Mudas levadas para a Bahia se ambientaram perfeitamente e a região passou a ser o maior polo de cultivo no Brasil.

Existem  dezenas de variedades de cacau, cada um com seu sabor particular, diferença quase imperceptível, mas fundamental para o produto final. A qualidade do cacau em pó e do chocolate vai depender da quantidade de gordura doce e amarela que é extraída durante a moagem dos grãos e de quanto amido e açúcar serão adicionados depois disto.

Sua gordura é chamada manteiga de cacau. Você pode comer a gosma que envolve cada semente, porém não espere encontrar sabor de chocolate, passa longe. Particularmente, secarei as sementes para provar seu conteúdo.

Uma frutinha tão especial, ingrediente de uma das maravilhas do mundo, não poderia ficar de fora do OBA.

Fonte de pesquisa: Pequeno Dicionário de Gastronomia – Maria Lucia Gomensoro

Orlando Baumel

Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Este post tem 2 comentários

  1. quando você vier na Bahia (sul da bahia) faça uma visita a uma fazenda de cacau, não vai se arrepender.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu