Linguistas explicam o significado e a origem de diferentes estilos da tradicional bebida alemã.

Blumenau, em Santa Catarina, lançou a primeira Oktoberfest brasileira em 1984. Hoje, é um dos maiores eventos do Brasil e a maior festa da cerveja alemã do mundo, depois da original, em Munique, Alemanha. Este ano, ocorrerá de 9 a 27 de outubro.

O sucesso de Blumenau tem sido tanto que, há três anos, São Paulo também passou a realizar uma Oktoberfest. Este ano, de 20 de setembro a 6 de outubro, a 3ª edição paulista será realizada no Jockey Club de São Paulo.

Durante a Oktoberfest, os brasileiros podem provar mais de 150 pratos e petiscos da gastronomia germânica que podem ser harmonizados com chopes e cervejas artesanais. Assim, pedimos aos linguistas do aplicativo de idiomas Babbel, sediado em Berlim, na Alemanha, para explicarem as terminologias mais importantes das cervejas alemãs.

Lei da Pureza da Cerveja: a legislação alimentar, ainda em vigor, mais antiga no mundo.

O selo da Lei de Pureza – Reinheitsgebot – é estampado com orgulho nas cervejas alemãs que seguem a lei à risca.

Para assegurar a qualidade da cerveja – então um alimento básico – em 1516 foi promulgada uma regulamentação para a produção cervejeira, conhecida hoje como Lei da Pureza da Cerveja. Ela declara que as cervejas devem ser fermentadas apenas com água, malte de cevada e lúpulo. A lei de 1516 não foi a única. A primeira regulamentação do tipo foi emitida em 1156 em Augsburgo, também na Alemanha. Portanto, trata-se da legislação alimentar mais antiga ainda em vigor no mundo.

Por causa da Lei da Pureza, as cervejas alemãs estão restritas aos mesmos ingredientes, porém isso não impede que haja várias diferenças entre elas. Elas são classificadas de acordo com a gravidade original, termo mais conhecido pela sigla em inglês OG – Original Gravity. Por exemplo, uma cerveja tem OG de 12 °P, 120 gramas de extrato por 1.000 gramas de líquido:

Einfachbier, com OG de 1,5 °P a 6,9 °P

Schankbier, com OG de 7,0 °P a 10,9 °P

Vollbier, com OG de 11,0 °P a 15,9 °P

Starkbier, com OG de 16 °P

Tipos de cervejas alemãs

Kölsch

A Kölsch é uma Vollbier clara, filtrada, de alta fermentação.Tradicionalmente, é degustada em um copo fino, cilíndrico e alto, com capacidade para 0,2 litro. De acordo com a região, o copo é chamado de Kölschglas ou Stange. As três marcas de cervejas Kölsch mais populares são Reissdorf, Gaffel e Früh.

Lager/Export

São chamadas de Lager apenas as cervejas de baixa fermentação com menos de 12 °P OG. A partir de 12 °P OG, a cerveja é considerada Export. Designada para o transporte de longa distância, é tradicionalmente mais fermentada para que o prazo de validade seja maior. Tanto a Lager quanto a Export podem ser claras ou escuras; o que define a cor é o malte. São consumidas, sobretudo, na Baviera, em Baden-Württemberg e no Vale do Ruhr. A Lager costuma ser servida em copos de chope, e a Export em canecas de vidro. As marcas que oferecem esses tipos de cerveja são: Augustiner, Löwenbräu e Staatliches Hofbräuhaus München.

Bockbier

A Bockbier é uma cerveja forte, com OG acima de 16 °P e um teor alcoólico mínimo de 6,5%. Diz a lenda que, no século 14, a cerveja era feita em Einbeck. Os duques e príncipes de Munique a apreciavam tanto que acabaram trazendo um mestre cervejeiro de lá para Munique. A bebida, conhecida como nach einpöckscher Art (ao estilo de Einbeck) se popularizou e, com o tempo, o nome foi reduzido para Bock. A Doppelbock é uma versão mais forte da Bock. Historicamente, ela era produzida pelos monges da ordem Paulaner, fundada por São Francisco de Paula.

Malzbier

Essa Vollbier de alta fermentação tem um OG médio de 11,7 °P. Como a levedura é adicionada a 0°C, a fermentação alcoólica é extremamente baixa, permitindo que a Malzbier seja considerada não alcoólica. Na Alemanha, Vitamalz e Karamalz são as marcas mais conhecidas.

Pilsen ou Pils

Pilsen é uma cerveja de baixa fermentação e com alta concentração de lúpulo em comparação a outras cervejas, com OG máximo de 12,5 °P. O nome vem da cidade Plzeň, na República Tcheca. Contudo, esse tipo de cerveja foi inventado por um alemão da Baviera chamado Josef Groll. Em 1842, a criação de Groll foi servida pela primeira vez. Hoje em dia, a Pilsen é a cerveja mais consumida na Alemanha.

Schwarzbier

A Schwarzbier é uma cerveja de baixa fermentação, com OG mínimo de 11 °P. Portanto, pertence ao tipo Vollbier. A cor escura da cerveja vem do uso de malte torrado ou malte escuro. E, claro, a Schwarzbier também é produzida de acordo com a Lei da Pureza. A Schwarzbier costuma ser servida em uma tradicional taça de cerveja chamada Pokal. A Köstritzer é uma das marcas de cerveja escura mais conhecidas na Alemanha.

Weizenbier

A Weizenbier é uma cerveja produzida com trigo ou malte de trigo. Dessa forma, ela não segue a Lei da Pureza, podendo ser considerada um grupo independente de cerveja. É bastante popular na Baviera, onde é de baixa fermentação, geralmente com um OG de 11°P a 14 °P. Tradicionalmente, a Weizenbier bávara é degustada em copos longos e finos. A Berliner Weisse é de alta fermentação, sendo produzida com uma mistura de trigo e malte de cevada, além de contar com a ajuda de bactérias lácticas. Daí seu gosto azedo. A Berliner Weisse é bebida em um cálice. Primeiro, adiciona-se o xarope. Depois, acrescenta-se meia garrafa de Berliner Weisse.

Orlando Baumel

Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu