Batatas Anna

Lugares e Comidas Inesquecíveis – New York
31 de agosto de 2010
Brancos e Tintos
2 de setembro de 2010
Mostrar todos

Batata: pura, simples e magnífica!

Batatas são especiais…

E como são especiais. Há quem diga que Chefs franceses foram obrigados a criar um prato de batata para cada dia do ano…pode até ser verdade, mas se fizeram isto mesmo, as mais simples criações foram as que ficaram para a posteridade.

Batatas Anna foi um prato criado por um Chef  bordalês (Adolphe Duglèré), no século XVIII, em um banquete extremamente importante  para pessoas extremamente importantes. O mais engraçado é que, entre as pessoas extremamente importantes, não havia nenhuma  Anna (ao menos que se saiba).

Com certeza, Adolphe criou este prato em casa, para uma Anna, como uma prova de amor definitiva. E, este prato, assim como o amor, é simples…e inesquecível. O resto é só boato.

A receita que fiz, e que passo aqui, é do Paul Bocuse, em seu livro La cuisine du marché.

O segredo maior desta batata está no uso de manteiga clarificada. A água ou soro de leite contidos na manteiga comum, iriam fazer as batatas grudarem no fundo da forma.

Para Manteiga Clarificada, clique AQUI!

BATATAS ANNA

Escolher batatas médias e compridas. Descascar e cortar em rodelas finas e regulares (1/2 cm de espessura). Mergulhar em água fresca, escorrer e secar. Temperar com sal e pimenta-do-reino moída na hora.

Untar um recipiente de porcelana refratária com manteiga clarificada derretida (tenha em torno de 3 colheres de sopa).

Cubra o fundo completamente com as rodelas de batata, formando um desenho de flor, sempre sobrepostas. Pincele com a manteiga e tempere ligeiramente com sal e pimenta-do-reino moída na hora.

Faça outra camada, repetindo o procedimento anterior. Prossiga assim, até obter 4 ou 5 camadas de batatas. Derrame o restante da manteiga e leve ao fogão, em fogo médio,  por 1 minuto.

Retire e coloque em forno pré-aquecido por 30 minutos. Deixe até dourar suavemente.

Retire do forno. Com o auxílio de uma faquinha, desgrude  as bordas. Com cuidado, mas  muito cuidado mesmo, vire em um prato de serviço, fazendo a “tortinha” de batata sair inteira.

Sirva imediatamente.

Um grande prato. Um prato clássico. Batatas em seu estado mais puro e magistral. Para guardar e lembrar sempre.

*Dedicado a minha filha, Anna Letícia. Sim, Anna com dois N.

Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

8 Comentários

  1. Tereza Ratts de Ratis disse:

    Lindo! Amei!

    Anna é o nome que quero dar para a filha que um dia terei… 🙂

    Beijos e parabéns pelo prato, a historia, a receita e tudo o mais.

  2. Olha só! Quando me disse que as fotos ficaram maravilhosas, eu já esperava por uma foto linda, mas estas, não tem lambida no monitor que resolva! Lindas fotos e receita maravilhosa, parabéns!

  3. Nao conhecia esse jeito de fazer. Gostei muito.

  4. Thaís Souza disse:

    Batatas por sí só já são muito saborosas… mas estas, nossa… nunca tinha visto batatas preparadas assim, tão simples, ficou mto bonito, Orlandinho!

    Bom matar saudade!

  5. João Gabriel Margutti Amstalden disse:

    Este domingo eu realizei pela terceira vez esta receita. nas primeiras vezes elas ficaram deliciosas, muito bem temperadas, mas infelizmente quando eu ia virar ela, desmanchava tudo. No domingo, finalmente ela saiu linda, parecendo um tortinha mesmo!

  6. LUIZ disse:

    PARABÊNS ÓTIMA RECEITA , FIZ E APROVO O SABOR DA MANTEIGA CLARIFICADA…É OUTRO MUNDO QUANDO SE PASSA A CONHECER O UNIVERSO GASTRONOMICO

  7. anna boni disse:

    Meu nome é Anna! Vou fazer essa batata hoje!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.