Você já experimentou Azedinha?

Capeletti Gratinado a Quatro Queijos no Ramequim
28 de setembro de 2016
Linha Circus da Alessi
30 de setembro de 2016
Mostrar todos

Se você nunca comeu Azedinha, está na hora de provar. Apesar de não ser tão fácil de encontrar aqui em Curitiba, vale a pena você dar uma vasculhada nas feiras livres, pois lá você poderá ter a sorte de “dar de cara” com estas folhas tão deliciosas. Eu tive a sorte de ter ganho um maço de minha mãe, cozinheira de mão cheia e frequentadora assídua de feiras livres.

azedinha

Popularmente conhecida como Azeda, Azeda-de-Ovelha, Língua- de-Vaca ou Azedinha, a Rumex acetosa L. é uma planta herbácea com folhas compridas, lisas e largas, que atinge até 60 cm de altura.

Com origem na Europa e na Ásia, a Azedinha é muito popular desde a Antiguidade. Tem sabor ácido e era utilizada por gregos e romanos para melhorar a digestão. As folhas são ovais e têm textura semelhante à do agrião. Possui um alto teor de celulose, o que auxilia nos problemas intestinais. Também é rica em potássio, magnésio e vitamina C.

As folhas podem ser usadas em saladas, molhos, sopas e purês, em massas de panquecas, queijo de cabra, ovos e serem cozidas como o espinafre. É um ótimo ingrediente no preparo de vinagretes, para temperar saladas de folhas. É também um bom acompanhamento para peixes e pode entrar no preparo do molho velouté. Por ser muito ácida, pode ser utilizada para amaciar carnes. Para difundir o aroma da azedinha num prato, é costume cortar as folhas em finas tirinhas, colocando umas sobre as outras, enrolando-as e pressionado-as bem ao cortar. Dessa forma ela aparece em saladas, omeletes e sopas ou, junto da manteiga e do creme de leite, vira purê.

O purê de azedinha, muito popular na França, acompanha muito bem peixes cozidos e carne de vitela. O filé de salmão e molho de azedinha, na receita de Pierre Troisgros, um dos papas da Nouvelle Cuisine, virou um clássico da gastronomia francesa moderna, sendo citados em vários livros de culinária. (Fonte: Bonde)

Como vocês viram, a Azedinha cai bem em diversas receitas. Em breve trarei a receita de Pierre  Troigros aqui para as páginas do OBA Gastronomia. Enquanto isto, caso encontrem Azedinha, provem uma das mais felizes em saladas: tomate e azedinha. E só. Depois me contam a sensação.

azedinha-1

Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *