1° Festival da Caipirinha da Bahia

De 15 de marco a 1º de abril  diversos bares e restaurantes de Salvador apresentam suas versões sobre a bebida.

Rússia tem a VodkaMéxico a TequilaJapão o SaquêInglaterra o Gin, e no Brasil a cachaça. Com essa bebida é feito o coquetel mais famoso do mundo, a caipirinha. No centenário dessa bebida, faremos um festival só para ela. De 15 de março a 1º de abril  diversos bares e restaurantes de Salvador e região apresentam suas versões, no  1º Festival das Caipirinhas da Bahia.

Com a proposta de divulgar a Cachaça baiana, a Caipirinha e a gastronomia regional, o festival será uma oportunidade de conhecer um pouco mais. “A caipirinha é um conceito que já extrapolou o limão. Desculpem os mais ortodoxos, mas a proposta do festival é que cada estabelecimento reveja os conceitos da caipirinha com limão e açúcar e crie novas sensações e novas experiências a seus clientes, usando exclusivamente a cachaça em sua produção”, informa o realizador do festival, Raimundo Freire.

O projeto é uma realização da Kikaxassa em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-Ba). Os drinques terão um preço fixo de R$ 10,00 e o evento pretende aumentar o fluxo de clientes nos estabelecimentos e contribuir para a divulgação de produtos e serviços que oferecem. Avenda é proibida para menores de 18 anos.

A caipirinha – Parece simples fazer uma caipirinha. É só cortar o limão, uma boa Cachaça, açúcar e misturar ao gelo. Porém, com o passar dos anos, a Caipirinha ganhou diversas variações nas mãos de conceituados bartenders. “Há quem defenda ferrenhamente a receita tradicional, mas num país com tanta riqueza de frutas e cachaças de variados aromas, é desperdício ficar só na básica”, diz Freire.

Bebida típica do Brasil, ela foi criada por volta de 1918 no interior de São Paulo, e hoje é conhecida no mundo todo. Em dezenas de estabelecimentos da capital baiana, você poderá provar desde a versão clássica, até releituras mais elaboradas com outras frutas e também xaropes.

História – Pesquisadores indicam que a caipirinha, como é conhecida, teria sido criada a partir de uma receita popular feita com limão, alho e mel e seria indicada para os doentes da gripe espanhola. A cachaça foi colocada porque na época era comum um pouquinho de álcool em todo remédio caseiro, a fim de acelerar o efeito terapêutico. Com o tempo foi retirado o alho e o mel e acrescentado umas colheres de açúcar para adoçar a bebida. O gelo veio em seguida. Outros pesquisadores dizem que a bebida foi criada por fazendeiros para festas de alto padrão, sendo um reflexo da forte cultura canavieira na região.

Para proteger a autenticidade do drink nacional, considerado um patrimônio brasileiro, o decreto de lei número 4.851 foi assinado em 2003 pelo Governo para garantir a propriedade intelectual sobre as marcas Caipirinha e Cachaça na legislação internacional.

A receita tradicional é diretamente preparada no copo, no qual o limão deve ser levemente macerado com o açúcar, posteriormente acrescentar o gelo e, na sequência, a dose de Cachaça. Deve-se mexer levemente para misturar os sabores. A cachaça oficial do festival é a premiadíssima Rio do Engenho, produzida na cidade de Ilhéus, localizada na região sul do estado.

Serviço

1º Festival das Caipirinhas da Bahia

Quando: A partir de 15 de marco a 1º de abril

Onde: Nos melhores estabelecimentos de Salvador
Bahia – Brasil

Valor: drinques preço fixo de R$ 10,00

Venda é proibida para menores de 18 anos

Contato – 71-993535052

Festival do Caranguejo – Canavieiras – BA

Amantes de um suculento caranguejo tem destino certo neste final de semana. De 11 até 15 acontece em Canavieiras o Festival do Caranguejo, uma festa dedicada ao crustáceo mais popular da orla baiana. Além de atrações musicais como Jau, Pablo, Filomena, Packanka, Sinho Ferrari e Kiko Salli, o vento também contará com diferentes pratos que a estrela do festival como base.

Com valores que variam de R$ 3,50 a R$ 40,00, restaurantes como Rosa Morena, Cabana Sonho Dourado, Dribeto lanches, Cantinho da ZEZÉ, Corona lounge pub e Cabana Nativa oferecem as mais variadas opções.

Entre os pratos, salada, fritada, moqueca, caldo, hambúrguer, arroz, rondelli recheado, casquinha, risoto, linguini, marinado e sushi, sem faltar o prato típico da região a Cabeça de Robalo, uma espécie de catado de caranguejo, acompanhado com pirão, vinagrete e pimenta e o tradicional caranguejo cozido.

O evento reunirá gastronomia e música, passando por tópicos como degustação de pratos típicos, feira gastronômica e de artesanato, aulas shows com chefs, workshops, palestras e concursos temáticos. Ocorrerá em duas áreas físicas da Cidade de Canavieiras. Parte acontecerá na Praia, onde se montará o caranguejódromo, barracas credenciadas, palcos e competições.

Haverá também ofertas de pratos como bolinho de poã, poã a milanesa e poã recheada, ainda haverá espaço para debate cientifico e capacitação para a comunidade envolvida no pescado, manuseio e comercialização do produto.

Canavieiras tem um dos maiores habitat do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) que vivem exclusivamente áreas de manguezal, sendo esse um ecossistema costeiro, de transição entre os ambientes terrestre e marinho, provendo uma farta oferta de alimento e retém detritos, com sumária importância para a vida de várias espécies marinha e também para as que habitam a área de transição.


A cidade se destaca como uma das mais relevantes na culinária de peixes, mariscos e envolvidos dentre as cidades do litoral da Bahia. Uma variada oferta de produtos compõem os cardápios de bares e restaurantes do município. Com caranguejo são feitos catados, moquecas, mariscadas, Paella, Caranguejo Cozido, Puãs Empanadas, saladas, tapiocas, pizzas, lasanhas e casquinhos, o famoso prato Cabeça de Robalo, de origem e exclusivo da culinária Canavieirense.

Serviço
Festival do Caranguejo
​​Dias: 11 e 15 de outubro
​Onde: ​Canavieiras​/Sul da Bahia​
​Aberto ao Público ​

Restaurante Rosa Morena
Salada de caranguejo – Salada de Caranguejo, chips de beterraba e inhame e purê de cenoura
R$ 29,00
Serve uma pessoa
Av. Beira Mar 136
Todos os dias das 9h00 às 17h00

Cabana Sonho Dourado
Fritada de caranguejo – Moqueca de catado de caranguejo com crosta
R$ 25,00
Serve uma pessoa
Av. Beira mar 32
Todos os dias das 08h00 às 18h00

Cabana Salina
Moqueca de caranguejo no coco – Moqueca de catado de caranguejo no coco com pirão
R$ 59,00
Servem duas pessoas
Av. beira mar 194
Todos os dias das 08h00 às 18h00

Cabana Nativa
Cabeça de Robalo – Catado de caranguejo, com pirão, vinagrete e pimenta.
R$ 40,00
Servem duas pessoas
Av. Beira Mar 208
Todos os dias das 8h00 às 18s00

Restaurante Quero Mais
Torta Da mama – Torta de catado de caranguejo com crosta de ovos
R$ 37,00
Servem duas pessoas
Praia da costa
Todos os dias das 10h00 às 17h00

Cabana Olho no Sol
Cabeça de robalo – Catado de caranguejo, farofa e vinagrete
R$ 12,00
Serve uma pessoa
Av. beira mar 224
Todos os dias das 8h00 às 17h00

Cabana Tijolinho
Caldo de caranguejo – Caldo de catado de caranguejo com coco crocante e molho especial
R$ 12,00
Serve uma pessoa
Av. beira Mar 660
Todos os dia das 8h00 às 18h00

Dribeto Lanches
Hambúrguer gourmet de catado de caranguejo – Bland de catado de caranguejo com maionese de dendê e cebola na chapa.
R$ 12,00
Serve uma pessoa
Todos os dias das 18h00 às 00h00

Cantinho da ZEZÉ
Arroz de caranguejo – Arroz de catado de caranguejo com saladas
R$ 40,00
Servem duas pessoas
Pça. Eduardo campos 48 sitio histórico
Todos os dias das 11h00 às 22h00

Makaira Beach Resort
Rondelli recheado – Massa de rondelli com recheio de catado de caranguejo com molho de tomate caseiro
R$ 40,00
Servem duas pessoas
Avenida beira Mar, Barra norte s/n.
Km 6
Todos os dias

Lanchonete Por Aqui
Hamburg de caranguejo – Carne de caranguejo queijo presunto e saladas
R$ 15,00
Serve uma pessoa
Pça. Eduardo Campos, Sitio Histórico
Todos os dias das 8h00 às 00h00

Cabana Mano
Cabeça de Robalo – Catado de caranguejo pirão, arroz
R$ 25,00
Servem duas pessoas
Avenida beira mar 1080
Todos os dias das 8h00 às 18h00

Cabana Keete
Caranguejo cozido – Caranguejo inteiro
R$ 3,50
Serve uma pessoa
Av. Beira Mar
Todos os dias das 8h00 às 18h00

Restaurante Frutos do Mar
Caranguejo dos campinhos – Catado de caranguejo com crosta de tapioca e arroz de banana da terra
R$ 23,90
Pça. Eduardo Campos 18, Sitio histórico
Todos os dias das 10h00 às 00h00

Corona Lounge Pub
Casquinha de Caranguejo – Catado de caranguejo e farofa
R$ 13,00
Serve uma pessoa
Avenida beira Mar
Todos os dias das 10h00 às 00h00

Restaurante Alegria de Viver
Risoto de Caranguejo – Risoto de catado de caranguejo com ervas finas e queijo ricota
R$ 60,00
Servem duas pessoas
Avenida beira mar 836
Todos os dias das 9h00 às 17h00

Restaurante Casa Verde
Linguini com caranguejo – Catado de caranguejo com uma massa italiana caseira e abobrinha refogado
R$ 30,00
Serve uma pessoa
Av. Felinto Melo 60 sitio histórico
Aberto a partir das 11h00 às 00h00

Restaurante Sete Portas
Caranguejo Marinado – Tagliatelle ao molho de caranguejo marinado na cerveja e tomate
R$ 35,00
Servem duas pessoas
Sitio Histórico
Todos os dias das 9h00 às 00h00

La Dolce Vita Lanchonete
Piadine de caranguejo – Piadina italiana c/ricota de caranguejo, rúcula e queijo
R$ 19,00
Sitio histórico
Aberto a partir das 9h00 às 00h00

Ilhéus – A Princesinha do Sul da Bahia

Para encerrar uma semana dedicada aos chocolates de Ilhéus, nada melhor do que mostrar um pouco do que esta linda cidade tem de oferecer aos turistas. São paisagens deslumbrantes, lugares que ficaram imortalizados nos livros de Jorge Amado, principalmente Gabriela. Visitar estes lugares, como a casa de Jorge Amado, o Bataclan, a casa de Tonico Bastos é um mergulho nas histórias encantadoras no mundo deste escritor genial.

Ilhéus é um município brasileiro do estado da Bahia. É a cidade com o mais extenso litoral entre os municípios do estado. Ilhéus foi fundada em 1536 como “Vila de São Jorge dos Ilheos”, e elevada a cidade em 1881. É conhecida por ambientar os romances de Jorge Amado, famoso escritor baiano, como Gabriela, Cravo e Canela, Terras do Sem Fim e Capitães da Areia.

É considerada a capital do cacau e denominada por seus habitantes como a “Princesinha do Sul”. Sua economia baseia-se na agricultura, turismo e indústrias.

Já foi o primeiro produtor de cacau do mundo, mas, depois da enfermidade conhecida como vassoura-de-bruxa, que infestou as plantações, reduziu consideravelmente a sua produção. Conhecida também como “IOS”, sigla que respeita a grafia antiga do nome da cidade, “São Jorge dos Ilheos”, que é utilizada nos bilhetes de transporte aéreo.

Está entre as sete cidades mais populosas da Bahia (após Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Camaçari, Itabuna e Juazeiro).

Possui um produto interno bruto per capita que ultrapassa os 12 000 reais. Abriga um importante polo de informática do Estado, além de ser centro regional de serviços junto com Itabuna. Sedia o Aeroporto Jorge Amado, que é portão de entrada para destinos muito procurados, como Itacaré, Canavieiras, Ilha de Comandatuba, Itabuna e a própria cidade de Ilhéus. (Wikipedia)

Ter estado em Ilhéus, mesmo por apenas quatro dias, foi uma experiência que recomendo a todos. Sua terra; sua gente; as plantações de cacau; o excelente chocolate produzido ali; as comidas típicas (como a Moqueca e o Acarajé) são coisas que ficarão guardadas na memória para sempre. Ir até Ilhéus é ficar com a vontade de voltar.

 

Orlando Baumel viajou a Ilhéus a convite da organização da Chocolat Bahia 2017.

Visitem o Portal Turístico de Ilhéus!

  • Todas as fotos são de autoria de Ana Lee.