O “Perigoso” Beto Batata

Creme de Agrião
17 de maio de 2011
Casarecce com Shitake, Alcachofras e Alho Negro
19 de maio de 2011
Mostrar todos

Da burrice oficial.

Sábado, dia 14 de maio, 20:30 hs.

Festa de 15 anos no Beto Batata, tradicional bar e restaurante de Curitiba. Pessoas de todas as idades…”banda” tocando: um piano, um contrabaixo acústico e um oboé. O local é invadido por policiais. Cerca de 15 viaturas cercam a rua. Armados, os policiais retiram à força 150 “arruaceiros” que festejavam no local os 15 anos da “meliante”.

A justificativa: o restaurante não tem permissão para música ao vivo e tem muito barulho.

Há 12 anos, Robert Amorim abriu o Beto Batata, no alto da XV, nesta capital ecológica, do natal, do sorriso e outras baboseiras que inventam a cada administração. Em 12 anos, o Beto Batata transformou-se não apenas em  referência gastronômica na sua especialidade (batatas suiças), como também referência cultural local.

Centenas de projetos foram financiados e produzidos por Robert Amorim, sem nenhuma contrapartida, pelo simples prazer de oferecer cultura para os moradores de Curitiba.  Vários artistas, da cidade e de fora, mostraram seu trabalho graças à determinação deste empresário. Isto, por si só, já desabona esta arbitrariedade absurda.

Em nome de algo chamado AIFUS (Ações Integradas de Fiscalização Urbana), a Prefeitura de Curitiba, em conjunto com o Governo do Estado, cometeu este ato que bem demonstra a origem de seus mandatários. Como se a cidade vivesse sobre uma calmaria completa, sem crimes, sem tráfico de drogas, sem abusos sonoros (aliás, o único notado no dia foi o barulho das sirenes de 15 viaturas).

É capaz que o Beto Batata já tenha reaberto, enquanto escrevo por aqui, mas não pode ficar no esquecimento a truculência usada com a conivência destes governantes. Devo lembrar aqui também, que o Blog do Esmael Moraes está fora do ar, por ordem judicial vinda do mesmo governo que ordenou este ato descabido.

Como músico e como pessoa ligada à Gastronomia, não poderia ficar alheio. Espero que o Beto Batata volte a ser como antes: um local onde cultura e alegria se juntam. Que as pessoas responsáveis por este ato reflitam um pouco sobre o que é bom para a cidade, não só o que é bom  para poucos.

BETO BATATA

Rua Prof Brandão, 678

Curitiba – PR

Tel.: (41) 3262-0840 ?

Print Friendly, PDF & Email
Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

4 Comentários

  1. valéria prochmann disse:

    Discordo completamente. O BB não tinha licença ambiental e estava fora da lei, ao contrário de milhões de trabalhadores que precisam repousar e pagam impostos, sem falar em crianças, jovens que precisam estudar, idosos, convalescentes – não são poucos como afirma o blogueiro. Ninguém está acima da lei. Desonrou dois acordos judiciais com a vizinhança. A operação não foi truculenta pois ninguém foi machucado. O poder público fez o seu trabalho, que deveria fazer mais vezes. E não se use a cultura como pretexto para defender quem está na informalidade: cultura é urbanidade e não barbárie. O BB é antes de tudo um estabelecimento comercial que lucra e deve respeito à lei e à comunidade, como bem recomenda a moderna governança.

  2. Kátia disse:

    faço minhas as palavras da valéria. ninguém que está defendendo o BB é vizinho ou parou para investigar as reclamações da vizinhança em relação ao funcionamento da casa.

  3. Sérgio disse:

    Prezada Valéria…………

    Operação truculenta é quando a policia desce o sarrafo?? se chega ostensivamente, com dúzia de viaturas e policiais armados ?? por acaso voce já andou nas cercanias da cidade?? conheçe a periferia a realidade desta população. Esta política da “nova” gestão é algo que surpreende a cada dia o que causa na verdade constrangimento é este esquema nefasto que se perpetua a mais de 20 anos na PM de Curitiba, porque a Sec d Meio Ambiente de Ctaba não tomou as devidas providências antes?? “mofderna governança – faça-me o favor, você como assidua frequentadora de outros ambientes não deve mesmo é gostar deste bucólico lugar que é o BB …vá a Veneza, vá Milão mas vá e deixe-nos felizes aqui.

  4. Alexandre Haus disse:

    Realmente o conceito de Truculência da Sra. Valéria esta meio desfocado, porque pelo que me consta apenas uma viatura seria suficiente para se fazer cumprir a “lei” que ele “desobedecia”,
    não me parece que seus freqüentadores iriam responder a bala a ordem da “lei”. Conheço bem este tipo de atitude de cumprimento de lei “seletivo” com estardalhaço para amedrontar pessoas de bem, pois empresários em desacordo com a lei, não merecem ser ameaçados por polícia, pense bem se for empresária se esta totalmente de acordo com a lei>>>>…..
    No más acredito que o BB deve estar incomodando poucas pessoas, mas pessoas importantes o resto que se f…. mais ou menos como a estação do metro em SP. Assim caminha a humanidade, depois reclamam quando os filhos caem nas drogas perdidos por freqüentarem locais “dentro de lei” mas infelizmente vendendo drogas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.