A origem do Azeite

Sopa de grão-de-bico, frango, alho-poró e legumes
7 de julho de 2011
Bistrô e Armazém Bendita Benedita
9 de julho de 2011
Mostrar todos

Onde tudo começou.

Laura Reinas nos fala um pouco sobre o surgimento do azeite.

Quem tratou de espremer a oliva pela primeira vez, deveria ter um lugar entre os bem feitores da humanidade, fato que ocorreu, conforme pesquisas, a um milhão de anos atrás, usados em prensas em Bologna, aonde foram encontrados alguns fósseis de folhas de oliveiras e resquícios humanos de trabalho com essa fruta.

Porém a maior presença de oliveiras se encontrava em alguns países como Síria, Palestina e na ilha de Creta,a difusão do óleo de oliva pela bacia do mediterrâneo, onde foram inventados os aparelhos de prensa de olivas, rústicos e de pedras, as olivas eram prensadas a mão e a pasta era posta nessa moenda para tirar o máximo de óleo possível e colocados em aparelhos para decantar e sair o líquido precioso em potes de pedras.

A civilização cretense deve seu crescimento e riqueza no comercio ao óleo, que era guardado como ouro nos no palácio de Cnosso, seu deposito gigantesco, que mais tarde foi queimado pela alta capacidade de combustão do óleo.

Esse fato prova como o óleo era importante para a economia da civilização cretense.

Durante escavações arqueológicas, descobriu-se uma biblioteca com materiais e evidencias que falam da importância do óleo para a sociedade, alem de ter sido encontrado o livro da administração do governo, aonde continha detalhadamente os locais de produções e destino, além dos meios de pagamentos relativos a vários tipos de óleo, que eram usados tanto na área gastronômica quanto na área medicinal, alem de serem usados como oferendas para deuses em cultos religiosos na ilha de Creta.

A comercialização desde produto era feita através de navios velozes que eram carregados de vasos e outros sacos de pele de cabra, que eram direcionados principalmente para o Egito, aonde terem o corpo coberto com óleo de oliva para ser embalsamado era considerado necessário. A documentação egípcia e iconográfica sobre o óleo de oliva é muito vasta, porem, citarei um muito importante e que serve como referencia em sua importância religiosa, um documento que retrata a oferenda ao deus Ra, aonde podemos ler: plantei olivas na sua cidade de Heliópolis com jardins e muitas pessoas: da planta se extrai um óleo de primeira qualidade/qualidade para obter sempre vivas as lâmpadas de seu sagrado palácio. E para explicar melhor a importância do óleo nessas civilizações, o óleo era muito usado para iluminação, sendo queimado em lâmpadas.

Também são muitas as referencias de importância do óleo de oliva na Grécia, lá a oliveira é considerada sagrada e dedicada à deusa Atena, com uma oliveira em Acrópoles que era venerada por atenienses por eles acreditarem que a deusa a havia plantado.

A difusão intensiva cobriu a área central da península italiana, graças à velocidade dos navegadores fenícios e cretenses, que cultivavam em suas terras e comercializavam pelo mediterrâneo, no chamado Mare Nostrum, onde vivia a maior parte da população.

A principio os romanos foram grandes produtores de óleo de oliva, porem, a Espanha se tornou o principal produtor com o maior olival do mundo, cerca de 60 milhões de arvores frutíferas.

No século XX, com a chegada de novas tecnologias, a produção ficou mais rápida e os preços mais acessíveis, tornando assim o óleo de oliva um produto de desejo de todos.

Os maiores produtores do mundo estão em países como Argélia, Síria, Espanha, Itália, Turquia e Grécia, além de fora do mediterrâneo como Argentina, Austrália e em menor escala no Chile, México e África do Sul, China e Vietnã.

Laura Reinas

*Imagem: Passeio ao crepúsculo – Vincent Van Gogh

Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *