Você conhece Nirá, o Alho Japonês?

Infinitivo
15 de novembro de 2016
Bisteca de Porco Grelhada
17 de novembro de 2016
Mostrar todos

Pense em uma plantinha que possui em seu sabor toques de alho, alho-poró e cebolinha, perfeita para usar em refogados, omeletes, peixe e carne de porco. Assim é o Nirá, também conhecido como Alho Japonês.

nira

Originário do Sudeste Asiático, o Nirá (Allium tuberosum) pertence ao mesmo gênero da cebola, do alho, da cebolinha e do alhoporó. Seu cultivo é antigo, não só para uso culinário mas também como medicamento antiviral e antimicrobiano. No Brasil é chamado pelo mesmo nome que no Japão, mas tem várias denominações em inglês: chinese chives; fragrant flowered garlic; garlic chives. Na China é gow choy ou jiu tsai; na Coreia, buchu; no Vietnã, He.

Há três tipos da erva: o branco, o verde e o verde com botões florais. O primeiro é produzido apenas pelos chineses, que privam as folhas de luz durante o cultivo. Por isso, elas ficam amareladas, macias e com aroma sutil. São também mais caras e menos nutritivas. O nirá verde-escuro tem maior teor de betacarotenos. O com botões florais é chamado no Brasil e no Japão de hana-nirá (hana significa flor). As pequenas moitas de nirá produzem de 4 a 10 bulbos, cada um com 4 a 5 folhas de 15 a 30 centímetros. Rústica, a planta gosta do frio e resiste a geadas. Suas folhas macias têm sabor que combina alho-poró, cebolinha e alho.

Na culinária chinesa são usadas em bolinhos, em recheios para pastéis e em refogados de legumes. Na japonesa, é indispensável no yakisoba (macarrão frito com legumes). O sabor delicado e perfumado faz do nirá uma hortaliça versátil, podendo entrar nas receitas cru ou cozido, como tempero ou ingrediente principal. No Ocidente, faz sucesso em quiches, sopas e saladas. Substituto mais suave para o alho, vai bem com batatas e peixes. É bom para quem quer emagrecer, por ter pouca caloria e muita vitamina C, importante na absorção do ferro; ingerido cru, traz compostos sulfúricos que ajudam a evitar a coagulação sanguínea.É ruim para pessoas com restrição ao consumo de fibras, pois contém teor alto desse elemento; quem tem problemas que dificultam a coagulação do sangue deve preferir a verdura cozida.

nira-1

O nirá é encontrado mais facilmente em mercearias de produtos orientais, mas nas grandes cidades, é possível comprá-lo também em feiras livres e supermercados. Escolha maços sem folhas amareladas ou amassadas. Elas devem ser verde-escuras, macias, cheirosas e aparentar frescor. Elimine as folhas machucadas antes de guardar o maço, pois elas se deterioram rápido e podem estragar as demais, além de exalar cheiro desagradável.Como se prepara: Armazenado de maneira adequada, o nirá dura vários dias na geladeira. Descarte as folhas machucadas, embale em saco plástico limpo e guarde longe das maçãs (o etileno liberado por elas faz as folhas amarelarem mais rapidamente). O cozimento prolongado destrói parte do aroma do nirá, por isso apenas afervente-o ou refogue-o rapidamente para os pratos quentes. Faça uma mistura de molho de soja, gengibre, óleo de gergelim e muito nirá picado para cobrir postas ou filés de peixe (salmão ou outros) antes de levá-los ao forno. O nirá poderá acompanhar o peixe.

Fonte: Yamaguishi Orgânicos

Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

2 Comentários

  1. Robson Luiz de Oliveira disse:

    Ola! gostei desssa apresentação do Nirá !
    Tenho plantado aqui uns 10 pés ! num tinha esse conhecimento !
    Agora vou usar muito !!
    Obrigado !!

  2. Edison Végas disse:

    Fiz um canteiro em casa e já estou colhendo, é uma delícia e faz muito bem para a saúde, consegui comprar as mudas prontas no Mercado Livre e já rapidamente formou o canteiro, mas compre as mudas pois as sementes são muito difícil de vingar e o que nascer demora muito para formar, fica a dica…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *