Colesterol – Algumas orientações

Carpaccio com Cogumelos e Molho Balsâmico
17 de outubro de 2012
Molho Barbecue – BBQ Sauce
20 de outubro de 2012
Mostrar todos

O OBA Gastronomia de hoe traz algumas dicas da Nutricionista Maria Alice Maciel a respeito de Colesterol.

Por acaso alguém sente alguma coisa quando o colesterol está alto?  Não, esse é o problema, por isso a monitorização deve ser feita antes, como prevenção.

Muitas pessoas não sabem que o colesterol é necessário e tem suas funções, como produção de hormônios, membranas celulares, vitamina D, ácidos biliares, etc. Muitos também não sabem que existe uma grande parte do colesterol que é produzida internamente (a maior parte), no fígado além daquela porção que ingerimos.

Pois bem, desse colesterol total, temos algumas frações. Entre elas a fração do chamado colesterol bom, o HDL, com uma fração protetora. Esse, em níveis baixos, constitui fator de risco. E o colesterol mau, o LDL, o que favorece a formação de placas de ateromas e eventos cardiovasculares.

O que fazer para prevenir alterações nos níveis desses elementos ou mesmo para melhorar o que já está alterado? Seguem algumas orientações, geralmente envolvendo mudanças no estilo de vida:

– Controle de peso – tentar manter o peso perto do ideal

– Se existem casos de eventos cardiovasculares na família, o cuidado deve ser maior e começar antes.

– Exercícios físicos ajudam no controle de peso, aumentam o HDL, melhoram a composição corporal, a condição cardiovascular, controle da pressão, etc.

– Fatores de risco – cuidado maior no caso da presença de diabetes, hipertensão, eventos cardiológicos na família, fumo, idade, uso excessivo de álcool, etc.

– Dicas da dieta: “Quanto mais colorido seu prato, melhor”.

      – diminuir o teor de gordura da dieta, principalmente gordura de origem animal (gordura visível da carne, gordura do leite e derivados, frituras, nata, banha, creme de leite, alimentos industrializados, etc.).

A gema de ovo é rica em colesterol, assim como miúdos, fígado, grande parte dos embutidos. Leite integral e derivados como queijos devem ser desnatados

     – aumentar a quantidade de fibras – frutas, vegetais, grãos, cereais, alimentos integrais. As fibras ajudam a diminuir e controlar os níveis de colesterol, além de outros benefícios como equilíbrio intestinal, controle da glicemia e outros.

     – a gordura poliinsaturada ( ex.: peixes como salmão) e monoinsaturada ( ex.: azeite de oliva, oleaginosas, abacate) são preferíveis, mas não deixam de ser gorduras e, portanto, calóricas. Óleo de canola e linhaça são ricos em ômega, Óleos de semente como girassol são ricos em ômega 6.

     – flavonóides – ação antioxidante benéfica, ex. maçã, frutas cítricas em geral, tomate, cebola, brócolis, um pouco de vinho tinto, frutas vermelhas (as berries), chocolate com mais de 70% de cacau, soja, etc.

Estas são apenas umas dicas, vamos tentar seguir e assim diminuir o risco de eventos cardíacos.

Maria Alice Maciel    –    Nutricionista

Orlando Baumel
Orlando Baumel
Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *