Bacalhau, Vinho e Cia

Pipoca!
4 de julho de 2018
Batida de maracujá
Batidinha de Maracujá Azedo Fresco
6 de julho de 2018
Mostrar todos

Tem comida portuguesa e tem a comida do Bacalhau, Vinho e Cia. Simples assim.

Em algum momento da minha vida, lembro de ter me apaixonado por Portugal e desde que me apaixonei, comida portuguesa me corrompe, e por conta dessa corrupção, a gente vai se deixando seduzir por tudo que tem o rótulo de “made in Portugal” ou “feito como em Portugal”… E as vezes a gente acaba tendo uma decepção ou outra por ai.

Depois de quase 10 anos aqui no Oba, experimentando restaurantes novatos e os super tradicionais, a gente acaba criando alguns critérios próprios de qualidade e também acaba criando nosso próprio nível de expectativa.

Pois bem, publicamos a receita do restaurante, a preferida do Cristiano Ronaldo e coincidiu de estarmos em São Paulo. Resolvi ver de perto, realmente a receita tinha chamado nossa atenção.

O restaurante é super tradicional em São Paulo, e tradição implica em ter que manter uma qualidade por longos anos ou ter que se reinventar em algo novo para permanecer no mercado.

Vamos ao que interessa?

Com aquele atendimento diferenciado, com gostinho de primeiras lembranças de ir a um restaurante, os garçons são super atenciosos em explicar, atender e te ajudar a decidir.

Decidir… como decidir em um cardápio recheado de boas opções? Evidente que o bacalhau é a estrela da casa, mas espere encontrar outros frutos do mar muito bem preparados.

Enquanto a gente ainda estava pensando no que escolher, optamos por ir beliscando a entrada:

Tudo muito gostoso, previsão de que a sequência do dia prometia. Destaque para a Sardella, que foi a primeira a acabar. Estava perfeitinha, feita no capricho.

Para começarmos a sair das indecisões, resolvemos optar por opções clássicas para começarmos a avaliar e mensurar as expectativas.

Começamos com o bolinho de bacalhau:

Bacalhau recheado com queijo da casa. Super sequinho, temperado na medida certa. Começamos bem, pensei: “já dá pra voltar só pelo bolinho”. Aquele bolinho que é “só o bacalhau”, se desmanchando…

Depois de muito pensarmos, optamos por experimentar duas outras receitas tradicionais de Portugal: a alheira e a sardinha grelhada.

A partir de agora, acreditem, a delicadeza da cozinha se manifestou de forma surpreendente: ingredientes finamente picados, leve sabor de defumado, excelente equilíbrio entre carne de porco e carne de frango. Tudo isso ainda chega na sua mesa, delicadamente porcionado pelo garçom e servido no seu prato. Se você ainda não experimentou uma Alheira, recomendo que comece experimentando esta daqui.

Aí temos a sardinha. Quem me conhece sabe que não sou nem um pouco fã de sardinha, não mesmo. Coloquei minhas expectativas lá embaixo e segui em frente.

Ela chegou grelhadinha na nossa mesa, assim. E eu só me perguntei: “vou ter que abrir e limpar isso?”. Estava prestes a passar a vez. Chegou o garçom, abriu as duas, limpou na nossa frente e serviu. Ufa, um problema a menos pra encarar, agora só faltava comer. Já pensando: como um pedaço e sigo em frente. Não sobrou pedaço pra contar história! Grelhadinha, temperada para que ela ficasse uma bela sardinha, suave e saborosa.

Agora não posso mais dizer que não gosto de sardinha. Obrigada!

Para o prato principal, escolhemos Bacalhau com Batatas ao Murro, que chega a mesa acompanhado de brócolis na manteiga, tenros e saborosos.

Assim como nos outros pratos, o garçom te ajuda a se servir, e fica simplesmente irresistível!

Corte de bacalhau escolhido a dedo, temperado na medida certa: você sente o gosto de tudo, do bacalhau, do azeite, dos temperos. Cada um na sua porção certa, sem chamar mais atenção. O Bacalhau brilhou do começo ao fim do prato.

Mas e o que seria da comida portuguesa se não produzisse também boas sobremesas?

E aqui, meus querido, aqui a coisa sai do controle totalmente. Aqui você chega naquele ponto de pensar: quanto será que custa se eu pedir uma forma inteira de pastéis de Belém? Encontrei a melhor massa folhada com o creme de nata mais equilibrado (nada daqueles que ficam parecendo um ‘pudim’) com um toque de canela delicioso que chega a uma perfeição delicada: você sente a canela, mas ela não está lá.  E neste ponto, este pastel de Belém redefiniu totalmente minha definição de pastel de Belém.

Tem uns pastéis de Nata por aí e tem o Pastel de Belém da Bacalhau, Vinho e Cia.

Nosso almoço foi regado por um belo vinho verde, Conde de Barcelos; sugestão da casa, com excelente custo x benefício.

E assim, como tudo que experimentamos, do começo ao fim, almoçar no Bacalhau, Vinho e Cia foi uma experiência memorável. Se quiser uma experiência gastronômica impecável, com certeza recomendo o Bacalhau, Vinho e Cia.

Serviço:  Bacalhau, Vinho e CiaR. Barra Funda, 1067 – Barra Funda, São Paulo – SP, 01152-000 | Telefone: (11) 3666-0381

Print Friendly, PDF & Email
Carolina Figueiredo
Carolina Figueiredo
Sócia do Oba Gastronomia desde que veio aqui procurar informações sobre um restaurante da cidade e virou amiga do Orlando Baumel. Sou mãe, webdesigner e divagante, amo boa música, bons pratos e uma boa risada.

1 Comentário

  1. Realmente foi uma experiência inesquecível… um presente poder lhe acompanhar e ser agraciado pelo carinho do Chef Carlos e seu time.
    Vamos voltar… com certeza, syn!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: