Para aproveitar antes do Carnaval

Volcano Bugatti
Design Italiano na cozinha
21 de janeiro de 2013
“Cordeiro De Bombacha Tchê” do La Caceria
22 de janeiro de 2013
Mostrar todos

Kia Ora realiza grande festa para comemorar o Australia Day

Dia 26/01, sábado, pub celebra a data mais tradicional da Austrália com muita música e promoções especiais

Dia 26 de janeiro é uma data muito importante para os australianos, pois nela comemora-se a chegada da primeira frota inglesa a Sydney, em 1788. A data tornou-se, então, feriado nacional na Austrália e é lembrada no mundo todo como principal festividade do país. Em São Paulo, o Kia Ora realiza no sábado uma grande festa com muita música e promoções.

Kia Ora

Kia Ora

Para fazer todos os australianos se sentirem em casa, o pub oferece como cortesia para eles uma cerveja Coopers (R$ 16) e um Aussie Burger (R$ 18), tradicional na Austrália e servido com abacaxi, beterraba, alface e molho especial e temperado com cebolinha e salsa. Especialmente em comemoração ao Australia Day, a banda Tilt preparou um setlist composto exclusivamente por sucessos de bandas daquele país para animar o público no Kia Ora Itaim. Já na unidade da Barra Funda, a banda Insônica é quem fica responsável pela animação.

Além disso, a jug (jarra de 1 litro) do chope Wallaby sai por R$12. Outra opção tipicamente australiana, o Hot Dingo, cachorro quente feito com linguiça defumada, mostarda de ervas e relish de pepino em pão especial, é vendido ao preço especial de R$10. Há também as Dundee Ribs (R$18), pedaços desossados de costela de porco empanados, macios e crocantes.

 Serviço: Kia Ora | Australia Day |  26 de janeiro |Rua Eduardo de Sousa Aranha, 377, Itaim Bibi | Tel: (11) 3846-8300 — Kia Ora Barra Funda |Rua Brigadeiro Galvão 871, Barra Funda | Tel: (11) 2366-3844

Ron Montilla lança sua primeira edição limitada em mais de 50 anos de história

Marca procura se aproximar da arte e promove a Bottle Parade, ação inédita em Fortaleza

PackShotMontillaFlat_AF_250x375mm

Montilla Edição Especial

Em mais de 50 anos de história, Ron Montilla lança sua primeira edição limitada. A novidade vem na variante Carta Cristal e será exclusiva para o Nordeste, principal mercado da marca com 94,5% de market share. Inspirada na cultura popular nordestina, a nova arte da garrafa foi criada pelo coletivo de artistas cearenses Monstra.

A marca decidiu agregar valores artísticos ao produto para renovar sua imagem e atingir uma variedade maior de públicos. “Queremos transformar a maneira como o consumidor percebe Montilla sem perder nosso elo com o povo nordestino e sua cultura. Por isso, investimos neste projeto como forma de dialogar com o mercado sob a ótica da arte, cultura e modernidade”, explica Patrícia Cardoso, gerente do grupo de bebidas standard da Pernod Ricard Brasil.

A embalagem da edição limitada “Tesouro do Pirata” possui novas versões de personagens tipicamente nordestinos e o famoso pirata, ícone de Montilla. Com traços que lembram a xilogravura (gravura feita com uma matriz de madeira talhada), os desenhos ainda expressam ares contemporâneos da arte urbana, em um mix de cultura pop e regional.

 “Entre os elementos escolhidos estão personagens do Reisado, lendas e animais esculpidos em madeira por mestres artesãos do nordeste. São ícones conhecidos da cultura nordestina, como o Mateus, o Teju, o Bode, o Boi e a Cabaça”, conta Weaver Lima, integrante do coletivo Monstra.

Para o lançamento da edição especial no Nordeste, a marca investirá em uma ação inusitada e nunca vista na região: reproduções gigantes das garrafas especiais vão ser distribuídas pela cidade de Fortaleza. A Bottle Parade vai levar peças com dois metros de altura, obras originais pintadas pelo coletivo Monstra, que se integrarão, em pontos de grande circulação, à paisagem da cidade. O rum ainda leva arte às ruas e possibilita que os públicos mais variados entrem em contato ela ativando o produto também por meio de empenas, ônibus adesivados e outdoors.

As cerca de 200.000 garrafas da edição limitada de Montilla Carta Cristal “Tesouro do Pirata” chegam às gôndolas dos supermercados no Nordeste a partir de janeiro com o preço sugerido de R$ 15,90.

NA SEMANA DO ANIVERSÁRIO DA CIDADE,PARIBAR RESGATA PRATOS CLÁSSICOS QUE MARCARAM ÉPOCA EM SÃO PAULO!

Que tal comemorar os 459 anos da cidade com um pato (para quatro pessoas!) do antigo hotel Ca’D’oro? Ou se deliciar com o filé mignon como era servido no Trem Azul, vagão da Companhia Paulista de Estradas de Ferro que transportava os passageiros mais abonados em viagens de São Paulo para o Interior e vice-versa?
Essas duas tradicionalissimas receitas da gastronomia de São Paulo estarão sendo servidas no Paribar especialmente para celebrar o aniversário de Sampa. Mas não apenas elas. Quem for ao Paribar poderá optar também por uma série de outros pratos clássicos da gastronomia da cidade. Pratos que fazem parte do cardápio regular da casa, vários deles homenageando restaurantes e bares que são parte de nossa história. Entre eles, por exemplo, o camarão à provençal que evoca o La Paillote, um ícone do bairro do Ipiranga.
Abaixo, algumas dessas receitas que fazem do Paribar endereço perfeito para se festejar mais um aniversário da cidade – da segunda-feira dia 21 ao sábado dia 26 de Janeiro.

Pato à Colleoni – Receita nascida na cozinha do restaurantedo Ca’D’Oro, primeiro hotel cinco estrelas de São Paulo, aberto em 1953 e fechado em 2009. Prato com inspiração lombarda (i.e., da Lombardia, região da Itália setentrional que tem Milão como capital), elaborado com a ave temperada, assada no forno, cortada em pedaços e servida acompanhada de três figos empanados e fritos no óleo. O prato foi criado por Fabrizio Guzzoni, fundador e proprietário do Ca’D’Oro, em homenagem ao mestre das armas e homem de guerra Bartolomeo Colleoni (1400-1475), chamado “il condottiero” (o capitão, o chefe). [R$ 95,40 – para quatro pessoas] Importante: o Pato à Colleoni será servido apenas e exclusivamente na sexta-feira 25 de Janeiro, mas deve ser encomendado com antecedência mínima de dois dias.

Filet Arcesp – Este é o saudoso filé que era a estrela do cardápio dos trens da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, nas viagens da capital para o interior e vice-versa. Era servido no célebre “Trem Azul”, o carro de elite Pullman, comparável à classe executiva dos aviões de carreira, que transportava os passageiros abonados. A receita, que nasceu e se consagrou nos trilhos do Estado, era um bife muito grande, de filé mignon, com molho de tomate, cebola, cenoura, batata e ervilha e acompanhado de arroz. O nome “Arcesp” veio da Associação dos Representantes Comerciais do Estado de São Paulo. O Paribar reconstituiu a receita a partir dos testemunhos nostálgicos dos antigos viajantes. [R$ 44,80].

Print Friendly, PDF & Email
Carolina Figueiredo
Carolina Figueiredo
Sócia do Oba Gastronomia desde que veio aqui procurar informações sobre um restaurante da cidade e virou amiga do Orlando Baumel. Sou mãe, webdesigner e divagante, amo boa música, bons pratos e uma boa risada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: