Sopa combina cerveja e cebola para aquecer o inverno

Chef da Rede Windsor ensina versão do Mestre Cervejeiro para tradicional receita francesa

O inverno pede pratos mais quentes e, como sempre, as sopas surgem como um grande atrativo para os dias mais frios. Na busca de uma combinação mais original, o chef suíço Bertrand Gerard Bovier, do Windsor Marapendi, ensina uma deliciosa sopa de cebola na cerveja, que acrescenta a bebida preferida dos brasileiros à tradicional receita francesa.

Apaixonado por gastronomia desde os 16 anos, o chef Bertrand acumula mais de 45 anos de experiência. À frente da cozinha do Windsor Marapendi há três, ele conta que veio ao Brasil para passar férias e daqui não saiu mais. Embora tenha aprendido receitas de grandes pratos da gastronomia mundial, foi na culinária mediterrânea que encontrou sua principal fonte de inspiração.

Confira então a receita, simples para fazer em casa e perfeita para saborear na estação mais fria do ano:

SOPA DO MESTRE CERVEJEIRO

Ingredientes

100g de manteiga

750g de cebola branca fatiada

20g de alho picado

3 folhas de louro

2 galhos de alecrim

2 galhos de tomilho

5g de sal fino

2g de pimenta branca em pó

1g de noz-moscada

100g de farinha de trigo

3 latas de cerveja preta ou clara pilsen

200ml de vinho branco seco

3lt de caldo de legumes

100g de queijo parmesão ralado

200g de bacon frito fatiado em tirinhas

Modo de preparo

Refogue o alho e a cebola na manteiga em fogo baixo até dourar, adicione louro, alecrim, sal, pimenta e noz-moscada. Ainda em fogo baixo, acrescente a cerveja e o vinho branco. Salpicar em chuva o trigo e mexer rapidamente para não empelotar. Adicionar o caldo de legumes quente e mexer até o preparo ficar homogêneo. Cozinhar em fogo baixo, reduzindo 1/3 do líquido da panela (cuidado para não queimar o fundo). Após o cozimento, desligar o fogo e adicionar o parmesão e o bacon frito. Servir bem quente em tigela. Rende até cinco porções.

Lisiele Dieterich Horn

Sou uma aventureira das artes, curiosa por história e lugares. Já morei na Alemanha, onde pude explorar o gosto por viagens e tudo que a envolve: boa comida, bons vinhos e lugares que instigam a nossa imaginação. Sempre explorando o universo gluten-free, e adaptando minha jornada a este novo ingrediente da vida.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.