Aproveite os dias em casa e faça esse cordeiro patagônico com cerveja preta, típico de Bariloche

O prato é uma das atrações do Bariloche a La Carta, festival gastronômico tradicional da região

A cidade de Bariloche tem um calendário de eventos já tradicionais, como por exemplo, o festival gastronômico Bariloche a La Carta, que leva ao turista o melhor da culinária patagônica, pois se existe algo que Bariloche também é especialista, é uma boa comida. A culinária local é a base de carnes de Cordeiro e truta outros cortes defumados.

Para matar a saudade da culinária da região, ensinamos aqui a preparar a carne de cordeiro cozida lentamente na cerveja preta, uma receita criada pelo chef Pablo Quiven.

Essa receita, é parte de uma série de conteúdos disponíveis na página da campanha “Eu fico em casa” lançada pela cidade, para incentivar as pessoas a ficarem em casa nesse período de pandemia.

Ingredientes:

3 kg de carne de cordeiro ou outro tipo de carne vermelha

150 ml de azeite

3 kg de cebola

1 alho

4 cenouras

2 kg de batata

1 abóbora

1 maço de salsinha

500 g de cebolinha

500 ml de cerveja escura

6 linguiças defumadas

20 ml de fumaça líquida

-50 g de pasta de cordeiro defumado

-10 g de masala defumada

-Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

Pique o alho, a cebola e a cebolinha e reserve. Corte a batata, a cenoura e a abóbora em cubos de 2 cm e reserve. Corte a carne de cordeiro em cubos de 2 cm. Corte as linguiças em rodelas de mais ou menos meio centímetro.

Aqueça uma panela ou caçarola (de ferro, de preferência), coloque o azeite e deixe aquecer. Coloque o alho, a cebola e a cebolinha picados. Quando eles ficarem dourados e caramelizados, acrescente o cordeiro, as cenouras e as linguiças com a pasta de cordeiro já amassada com o garfo.

Coloque a cerveja e deixe cozinhar por 1 hora e meia em fogo brando com a panela tampada.

Passado esse tempo, tempere com a masala e a fumaça líquida.

Por último, coloque os cubos de batata e abóbora, sal, pimenta e a salsinha picada.

Lisiele Dieterich Horn

Sou uma aventureira das artes, curiosa por história e lugares. Já morei na Alemanha, onde pude explorar o gosto por viagens e tudo que a envolve: boa comida, bons vinhos e lugares que instigam a nossa imaginação. Sempre explorando o universo gluten-free, e adaptando minha jornada a este novo ingrediente da vida.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu