Os brasileiros estão sendo contagiados pela paixão de beber vinho e o consumo da bebida vem crescendo no país. De janeiro a setembro do ano passado, houve um aumento de 37,2% no volume comercializado, segundo levantamento mais atualizado da Idea Consulting. Tida com uma bebida para os dias frios, o vinho geralmente é associado ao inverno. Mas você já experimentou um vinho leve e refrescante num dia de calor?

“Na hora de escolher o vinho para consumir no verão, é preciso buscar rótulos mais leves, menos complexos, secos e com baixo teor alcoólico. Eles são mais fáceis de beber, sendo geralmente degustados gelados ou frios, ideais para se refrescar”, explica o sommelier da Wine Concept Brasil, Leonardo Lucena, braço da distribuidora homônima com sede em Lisboa.

Os espumantes, brancos e rosés combinam perfeitamente com momentos à beira da piscina ou na praia. Para harmonizar, os vinhos leves e refrescantes combinam com petiscos. “Os espumantes e rosés harmonizam muito bem com camarão, crustáceos e vários pratos onde os sabores do mar estão presentes, além de queijos brancos, por exemplo. Os vinhos brancos são uma excelente combinação com saladas e peixes. Já os tintos jovens vão bem com espetinhos de carne vermelha ou frango, além de queijos duros. O Coração Obra Prima, por exemplo, um vinho português leve e refrescante, da região dos Vinhos Verdes, harmoniza perfeitamente com frutos do mar grelhados, como camarão, e é uma ótima opção para os dias quentes”, explica Lucena.

Na hora de beber, caso esteja fora de casa, prefira taças de acrílico (por segurança) e mantenha os vinhos espumantes, brancos e rosés sempre gelados. O ideal é acomodar as garrafas, já resfriadas, em um cooler com camadas de gelo, assim é possível ter vinhos e espumantes na temperatura ideal para um dia inteiro. Se não conseguir gelar as garrafas antes de sair de casa, coloque o vinho na vertical dentro de um balde, cubra-o em proporções iguais de água e gelo, assim eles serão resfriados mais rapidamente.

Lisiele Dieterich Horn

Sou uma aventureira das artes, curiosa por história e lugares. Já morei na Alemanha, onde pude explorar o gosto por viagens e tudo que a envolve: boa comida, bons vinhos e lugares que instigam a nossa imaginação. Sempre explorando o universo gluten-free, e adaptando minha jornada a este novo ingrediente da vida.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.