Tá! sei que estamos só em janeiro, longe das tradicionais festas juninas onde o pé-de-moleque é um dos doces mais apreciados, mas quando ganhamos de presente uma forma dele, pouco importa a época em que estamos. Foi com uma bela forma de pé-de-moleque que minha amiga Luciana Nogueira gentilmente me presenteou. Claro que eu teria de dividir com os leitores do OBA Gastronomia, pelo menos a receita. Bem simples e deliciosa.

O pé de moleque surgiu em meados do século XVI, com a chegada da cana-de-açúcar ao Brasil. A cidade de Piranguinho, no sul do estado de Minas Gerais, é conhecida pela produção artesanal da guloseima, e tem se destacado no cenário nacional através da festa do maior pé de moleque do mundo, que faz parte do calendário cultural de festividades do município.

Há uma derivação do doce na versão de um bolo, comum a festas juninas de locais do Nordeste do Brasil. O bolo de pé de moleque também é chamado de “bolo preto”, no qual a castanha de caju pode substituir o amendoim, mantém-se a rapadura e adiciona-se massa de mandioca fermentada (pubada, massa puba) e outros ingredientes. (Wikipedia)

Pé-de-moleque

Ingredientes

Amendoim torrado sem casca – 1 xícara

Açúcar – 1 xícara

Leite condensado – 1 caixinha (395 g)

Preparo

Misture o amendoim com o açúcar em uma panela e leve ao fogo baixo. Mexa até o açúcar caramelizar, sem deixar escurecer. Acrescente o leite condensado e mexa até que a mistura comece a desgrudar do fundo da panela. Unte uma forma com manteiga e despeje a mistura. Nivele com uma espátula. deixe esfriar e corte em losangos.

Orlando Baumel

Chef de Cozinha, músico e sócio do site junto com a Carol. Casado, pai de 3 lindas garotas.

Este post tem 2 comentários

  1. Dora Urban

    Este doce da Lu é PERFEITO!!! Já provei 2 vezes… dos deuses.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.